Muito mais que o hormônio do sono: saiba tudo sobre a melatonina






A glândula pineal é uma estrutura cerebral responsável pela produção natural de melatonina. Uma das funções primordiais dessa substância é a indução ao sono, que regula o metabolismo ao longo do dia, independentemente de a pessoa estar dormindo ou acordada. Se nos EUA a melatonina é facilmente encontrada e vendida, no Brasil a versão sintética é encontrada desde 2017 e possui uma série de outros benefícios. Por esse motivo, cada vez mais pessoas fazem uso da melatonina para diversos fins.


Antes de pensar em adquirir a melatonina sintética, é importante entender como o hormônio natural atua em nosso organismo e quais são os principais benefícios, cuidados, contraindicações e efeitos colaterais de sua suplementação. Assim, poderemos perceber que ela faz muito mais que apenas prometer um sono melhor.


Como a melatonina atua no organismo?

Nosso relógio biológico organiza as funções do corpo quando estamos acordados e também durante o sono. A melatonina, que começa a ser produzida na glândula pineal quando o dia escurece, está ligada ao nosso relógio biológico e auxilia nosso organismo na preparação para o sono. Também conhecida como hormônio da noite, ela está intimamente ligada à claridade: a melatonina atinge seu ápice quando estamos dormindo e, com a claridade do amanhecer, a glândula pineal reduz a produção de melatonina para sinalizar ao corpo que é o momento de acordar.


Além dessa função primordial, essa substância é um poderoso antioxidante que combate radicais livres que poderiam acometer o organismo. A melatonina participa da reparação das nossas células quando expostas a poluição, estresse e outros elementos nocivos, sendo uma das substâncias mais primitivas de que se tem notícia. A maior parte de nossos órgãos possui receptores para a melatonina, dessa forma, ela atua de formas variadas em nosso corpo.


O que influencia a produção de melatonina são fatores como a idade - pessoas mais velhas produzem níveis baixos de melatonina, a exposição à claridade e o uso de alguns medicamentos. Pela falta de melatonina que pode acometer pessoas nesses e em outros casos, considera-se fazer o uso dos suplementos.


Benefícios da suplementação de melatonina



O composto sintético de melatonina se mostra bastante eficaz no combate a problemas do sono como as irregularidades (demora a adormecer, dormir fora de hora ou jet lag, por exemplo). Além disso, os idosos com distúrbios do sono podem ter muitos benefícios ao conter a queda de produção natural dessa substância. A melatonina também apresenta vantagens para pessoas com alguns graus de deficiência visual a organizarem seus relógios biológicos que enfrentam dificuldades em perceber a luminosidade responsável pela produção desse hormônio. Já para crianças, é importante regular a qualidade do sono, pois é no período da noite que o organismo libera o hormônio do crescimento, imprescindível para o desenvolvimento da criança.


Muitas pessoas falam sobre a relação dessa substância com o emagrecimento, mas na realidade, não há nada comprovado em relação a isso. O que ocorre é que o metabolismo humano e animal está ligado à nossa rotina de atividade e descanso, e a melatonina, que está diretamente associada à isso, é responsável por regular alguns aspectos do metabolismo.


Os benefícios da melatonina não impactam somente o tratamento do sono. Segundo pesquisas e estudos, há outros usos desse hormônio na nossa saúde como, por exemplo:


  • Prevenir envelhecimento: A ciência demonstra que, ao longo do tempo, o uso frequente do suplemento de melatonina pode ajudar no processo degenerativo do envelhecimento.


  • Combater a enxaqueca: Pacientes cujo o organismo não corresponde a tratamentos comuns apresentam melhora com o uso da melatonina.


  • Tratar calvície e queda de cabelo: Pelo que indicam alguns estudos, a melatonina combate o estágio inicial da alopécia androgenética, estimulando o crescimento dos fios.


  • Amenizar a cólica de bebês: Os bebês ainda não têm uma glândula pineal desenvolvida, portanto não há produção de melatonina. O suplemento ajuda no relaxamento do intestino do bebê.


  • Prevenir câncer: Segundo pesquisas ainda em estágio inicial, a melatonina pode influenciar no combate a alguns tipos de câncer, já que durante o sono há a regulação das células novas, evitando o aparecimento de tumores.


Cuidados e efeitos colaterais da melatonina

A melatonina é uma substância extremamente segura, porém o consumo em excesso é sempre contraindicado. Alguns efeitos colaterais da melatonina são a dor de cabeça e alteração na produção de alguns hormônios. Além disso, ela é totalmente contraindicada em casos de pessoas com histórico de infarto ou angina. A produção corporal desse hormônio é de 0,1 mg, por isso, a dosagem comum de 3 mg já é mais que adequada.


Como pudemos observar, a melatonina é uma substância extremamente benéfica não só para a quem deseja buscar como melhorar a qualidade do sono, mas também para tudo o que o envolve indiretamente. Atualmente, esse suplemento é mais acessível e pode ser um grande aliado para a sua vida.


Agora que você já sabe o que é melatonina, continue navegando em nosso blog e descubra mais sobre saúde!


Nos Siga nas Redes Sociais: Twitter, Facebook, Instagram, Youtube . Adicione no grupo do Whatsapp

Deixe seu comentário e nos marque(@Sua Saúde) pra gente ver:

Nenhum comentário