Bolsa de colostomia: o que você precisa saber para usá-la com conforto e segurança






Alguns processos cirúrgicos, realizados para o tratamento de tumores e doenças,  podem mudar completamente a rotina de uma pessoa, obrigando-a a adotar novos hábitos de vida. Contudo, graças aos avanços da indústria farmacêutica, surgiram produtos desenvolvidos para minimizar os desconfortos diários e proporcionar uma melhor qualidade de vida para esses pacientes, como a bolsa de colostomia.  


Nos parágrafos a seguir, você vai entender melhor como esse item tem se tornado um importante aliado no tratamento e na recuperação de cirurgias que comprometeram de forma temporária ou permanente a evacuação através do reto. Vamos conhecer também os modelos mais comuns de bolsas de colostomia e como limpar a sua com segurança e tranquilidade. Acompanhe!


O que é e como funciona a bolsa de colostomia


Desenvolvida para facilitar o transporte das fezes para o exterior do corpo, a bolsa para colostomia, também conhecida como bolsa coletora, é instalada ao lado do abdômen, atuando como uma espécie de canal para intestino grosso, responsável pela eliminação dos resíduos através do estoma (abertura feita na parede abdominal  para o encaixe da bolsa).


Em alguns casos, onde há a necessidade de amputar o reto, seja para impedir o avanço de um tumor maligno em estágio avançado ou diante de um processo que envolve o ressecamento do intestino grosso e do reto, o uso da bolsa de colostomia se torna permanente.


Por outro lado, traumas de baixa complexidade, em que as chances de recuperação são altas e promissoras, o paciente será obrigado a usar a bolsa coletora apenas por um período temporário (que pode variar entre dois e seis meses) até que o seu quadro clínico esteja completamente estabilizado.


Tipos de bolsa de colostomia


Como cada paciente possui necessidades distintas e particulares, além de um ritmo de vida diferenciado, é importante que ele escolha a bolsa de colostomia que melhor se adapte à sua rotina diária.


Conforto, resistência e tamanho são alguns dos principais fatores que precisam ser levados em consideração no momento da compra da bolsa de colostomia. Logo abaixo, você confere as vantagens e desvantagens de alguns deles.


Drenável


Geralmente conta com uma abertura da região inferior, no qual é possível esvaziar o conteúdo do seu interior. É fabricada em material resistente que garante maior durabilidade e tempo de uso, tornando-se vantajosa para grande parte dos ostomizados (como são chamados os usuários da bolsa de colostomia).  


Não drenável


Esse tipo de bolsa de colostomia descartável pode ser encontrada em modelos fechados e lacrados, impossibilitando a abertura para a limpeza do conteúdo interno. É Recomendado que seja descartada assim assim que estiver com ⅓ da sua capacidade preenchido.  


Uma peça


A bolsa para colostomia composta por uma só peça possui a vantagem de reunir em um mesmo item tanto a bolsa quanto sua respectiva placa (espécie de barreira que mantém a pele ao redor do estoma protegida). Seu valor baixo tende a ser mais atrativo, contudo sua durabilidade reduzida compromete sua relação custo-benefício.


Duas peças


Mais cara, a bolsa de colostomia de duas peças conta com um coletor plástico, usado para encaixar na placa colada no abdômen. Além de facilitar a limpeza do produto, já que as partes internas da bolsa podem ser retiradas para higienização, esse modelo oferece uma proteção adicional para os estomas.  


Transparente


Permite melhor visualização do conteúdo, possibilitando que o paciente ostomizado possa acompanhar a evolução do preenchimento da sua capacidade, evitando surpresas, como rompimentos e vazamentos. Uma desvantagem desse modelo é sua transparência que pode causar constrangimentos ao usuário em situações que estiver com a área do estoma visível.  


Opaca


Ideal para quem deseja ter mais privacidade e quer evitar situações constrangedoras, o bolsa coletora opaca evita que vazamentos e rompimentos aconteçam, pois conta com um exclusivo fechamento em envelope que dispensa o uso de clamps (tipos de braçadeiras).


Como manter a bolsa coletora sempre limpa


Ainda é comum que surjam muitas dúvidas em relação à troca e limpeza da bolsa de colostomia. Para facilitar os cuidados é importante que o paciente estomizado mantenha a região do estoma sempre limpa e seca.


Lenços de papel, assim como toalhas de pano são recomendados. O paciente ainda pode adquirir, caso prefira, um lavador especial que consiste em uma extensão acoplada na ducha higiênica, transformando as gotículas em um jato contínuo de água. Com ele, o ostomizado consegue realizar uma limpeza completa da bolsa de colostomia em poucos minutos, sem precisar recorrer às garrafinhas d'água.


Enquanto a bolsa drenável exige limpeza periódica, o modelo descartável ou não-drenável pode ser jogado fora assim que completar ⅓ da sua capacidade. Mantendo os cuidados com a bolsa de colostomia sempre em dia, seu conforto e qualidade de vida estarão sempre preservados.



Comente:

Nenhum comentário