O estresse e a dor nas costas





A dor nas costas é uma das principais queixas de atendimento nos consultórios e ambulatórios, e também uma das principais causas de afastamento do trabalho.

Existem inúmeras disfunções e doenças que causam dor nas costas, dentre elas as lesões osteomusculares, inflamações, alterações articulares, vertebrais, posturais, protusões discais e outras.

O estresse pode causar dor nas costas por gerar tensão e contratura muscular, principalmente nas regiões lombar e da cintura escapular, que é a região alta das costas, ombros e cervical.

Mas como saber quando a dor é causada pelo estresse emocional e não por outros fatores como má postura, alterações osteomusculares, hérnia de disco ou lesões por trauma, dentre outras?

O paciente com dor nas costas persistente deve procurar atendimento médico, com um clínico ou ortopedista, para que este possa avaliar, examinar, solicitar exames complementares quando indicados, a fim de fazer um diagnóstico da causa exata da dorsalgia e iniciar seu tratamento.

No caso da dorsalgia, assim como no estresse, podem ser aplicados diversos tratamentos que se complementam.

Alongamentos e correção postural, exercícios, medicamentos antiinflamatórios e analgésicos, fisioterapia, acupuntura, psicoterapia são abordagens da chamada medicina integrativa e complementar e associados colaboram para que se trate também a causa da dor, não somente os sintomas.

As pessoas sujeitas ao estresse pertencem as mais diversas faixas etárias, classes sociais, profissões e ocupações.

Cada pessoa tem um grau de resiliência emocional, de condicionamento físico, doenças prévias, hábitos, vícios posturais, e todas essas condições atuam em conjunto para determinar como ela lidará com a dor, com o estresse  e suas consequências.

Ao longo do tempo o excesso do consumo de alguns alimentos muito calóricos gera aumento de peso e sobrecarga postural. Além disso o abuso de álcool com suas consequências físicas e psicológicas pode ter efeito no aumento do estresse e suas implicações, inclusive em quadros de dor.

A ansiedade excessiva pode gerar tensão muscular e má postura, que poderá se traduzir em dor muscular e nas costas.

A pessoa depressiva pode ter uma postura física que desencadeie dor, além do sedentarismo e alterações do peso que podem potencializar esse quadro.

Um quadro de vigorexia, quando há compulsão por atividade física pode gerar lesões e dor nas costas.

Aprender a gerenciar o estresse e equilibrar as emoções, através de práticas como a meditação, a atividade física regular, psicoterapia, e todas práticas e técnicas que ampliem o autoconhecimento pode contribuir para que aprendamos a nos conhecer melhor e evitar as situações que geram estresse excessivo e dor, além de aumentar a resiliência, que nos dá uma condição mais apropriada para equilibrar o emocional .



Comente:

Nenhum comentário