Célula tronco e a Paralisia Cerebral






A paralisia cerebral é uma lesão neurológica geralmente causada pela falta de oxigênio no cérebro ou isquemia cerebral que pode acontecer durante a gravidez, trabalho de parto ou até a criança completar 2 anos. A criança com paralisia cerebral possui uma forte rigidez muscular, alterações do movimento, da postura, falta de equilíbrio, falta de coordenação e movimentos involuntários, necessitando de cuidados durante toda a vida.

Curso online sobre Paralisa Cerebral

Entende-se que a grande maioria de casos de paralisia cerebral são congênitos, ocorrendo no ou próximo ao nascimento, e/ou são diagnosticados em idade tenra. Pode ser identificada como uma disfunção motora central que afeta o tônus muscular, a postura e os movimentos como resultado de um falha não progressiva ou permanente, ou uma lesão de cérebro imaturo.

Assim, através do transplante de células-tronco, nosso tratamento visa a regenerar os neurônios danificados. Para tanto, as células-tronco são injetadas em grande quantidade via injeção intravenosa ou punção lombar a fim de melhor atingir as áreas afetadas.

A paralisia cerebral geralmente é uma condição de longa duração (crônica), mas em geral não piora. Algumas crianças são severamente afetadas e têm dificuldades para o resto da vida. Outros podem ter sintomas leves de paralisia cerebral durante a infância, mas depois desenvolvem tônus muscular normal e habilidades motoras. Embora estas crianças possam continuar tendo reflexos tendinosos profundos anormais, elas podem não experimentar problemas significativos no movimento em suas vidas diárias.

Além disso, o apoio da família, bem como o incentivo do próprio paciente são importantes para garantir uma melhor qualidade de vida. Uma vez identificada a Paralisia Infantil, os familiares devem buscar todas as formas alcançáveis para desenvolver a criança em todo o seu potencial. Se houver essa atenção, grandes conquistas podem ser realizadas em conjunto.




Comente:

Nenhum comentário