10 Coisas que Você Precisa Saber sobre Tireoide


 http://saude.consultaclick.com.br/wp-content/uploads/2013/04/tireoide.jpg

Com forma bem parecida com a de uma borboleta, a glândula tireoide é localizada na parte anterior do pescoço, logo abaixo do Pomo de Adão. Reguladora da função de importantes órgãos como o coração, o cérebro, o fígado e os rins, ela produz os hormônios T3 (triiodotironina) e o T4 (tiroxina).

Quando a tireoide não funciona de maneira correta, pode liberar hormônios em quantidade insuficiente, causando o hipotireoidismo,  ou em excesso, ocasionando o hipertireoidismo. Nessas duas situações, o volume da glândula pode aumentar, o que é conhecido como bócio.

Confira, abaixo, as 10 coisas que você precisa saber sobre Tireoide.

1 – A tireoide atua no crescimento e desenvolvimento de crianças e adolescentes, no peso, na memória, na regulação dos ciclos menstruais, na fertilidade, na concentração, no humor e no controle emocional.

2 – Quando ocorre o hipotireoidismo, o coração bate mais devagar, o intestino não funciona corretamente e o crescimento pode ficar comprometido.

3 – Diminuição da memória, cansaço excessivo, dores musculares e articulares, sonolência, aumento dos níveis de colesterol no sangue e depressão também são sintomas de hipotireoidismo.

4 – No caso de hipertireoidismo, que geralmente causa emagrecimento, o coração dispara, o intestino solta, a pessoa fica agitada, fala demais, gesticula muito, dorme pouco, sente-se com muita energia, embora também esteja cansada.

5 – Em um adulto, a tireoide pode chegar a até 25 gramas.

6 – Disfunções na tireoide podem acontecer em qualquer etapa da vida e são de simples de se diagnosticar. Além disso, elas podem ocorrer mesmo sem o bócio.

7 – O reconhecimento de um nódulo na tireoide pode salvar uma vida. Por isso, a palpação da glândula é de fundamental importância. Se identificado o nódulo, o endocrinologista deve solicitar uma série de exames complementares para confirmar ou descartar a presença de câncer.

8 – Estima-se que 60% da população brasileira tenha nódulos na tireoide em algum momento da vida. Mas isso não significa que sejam malignos. Apenas 5% são cancerosos.

9 – Além de se parecer com uma borboleta, a tireoide também lembra o formato de um escudo. Daí o surgimento de seu nome: uma aglutinação dos termos thyreós (escudo) e oidés (forma de).

10 – Algumas crianças podem nascer com hipotireoidismo. Para detectá-lo, é realizado o chamado Teste do Pezinho, que deve ser feito, preferencialmente, entre o terceiro e quinto dia de vida do bebê.

Soja pode proteger da osteoporose mulheres na menopausa


Uma dieta rica em proteínas de soja e isoflavonas pode proteger as mulheres na menopausa do enfraquecimento dos ossos e da osteoporose

Uma dieta rica em proteínas de soja e isoflavonas pode proteger as mulheres na menopausa do enfraquecimento dos ossos e da osteoporose, indicaram os resultados preliminares de um estudo apresentado na conferência anual da Sociedade de Endocrinologia realizada em Edimburgo.

A osteoporose, que provoca o enfraquecimento e a fragilidade dos ossos, causa nove milhões de fraturas no mundo a cada ano. Esse risco é maior e se acelera nas mulheres nos anos imediatamente posteriores à menopausa, quando elas produzem menos estrogênio, que protege contra a perda óssea.

Os alimentos de soja contêm um componente conhecido como isoflavona, cuja estrutura é semelhante a do estrogênio, e que "poderiam, em teoria", proteger a mulher da osteoporose ao simular a ação dos estrogênios.

Para realizar o estudo, pesquisadores da universidade britânica de Hull forneceram a 200 mulheres na primeira fase da menopausa um suplemento diário de proteínas de soja com 66 miligramas de isoflavonas ou só um suplemento de proteínas de soja durante seis meses.

Os pesquisadores se centraram nas mudanças na atividade dos ossos das mulheres, medindo duas das proteínas presentes no sangue: betaCTX e P1NP.

As mulheres que tinham recebido em sua dieta soja com isoflavonas registraram níveis "significativamente" mais baixos de betaCTX do que aquelas que só tinham tomado soja, o que sugere que a perda óssea estava se desacelerando e, com isso, o risco de desenvolver osteoporose.

"Concluímos que a proteína de soja e as isoflavonas são uma opção eficaz para melhorar a saúde dos ossos das mulheres durante a menopausa", explicou o diretor do estudo, Thozhukat Sathyapalan.

Os 66 miligramas de isoflavonas deste estudo são o equivalente a comer uma dieta oriental, que é rica em alimentos de soja. Na dieta ocidental o consumo é, em média, de entre 2 e 15 miligramas, acrescentou.

"Acrescentar isoflavonas à nossa dieta pode levar a uma significativa diminuição do número de pessoas que são diagnosticadas com osteoporose", acrescentou.

Os pesquisadores querem agora analisar as consequências para a saúde no longo prazo de usar suplementos de proteína de soja e isoflavonas e se elas podem ter benefícios além da saúde dos ossos.

10 coisas que você precisa saber sobre o pé diabético


http://clinicamovere.com.br/wp-content/uploads/2013/02/P%C3%A9-diab%C3%A9tico.jpeg

Uma das complicações crônicas do diabetes é o popularmente conhecido pé diabético. Ele ocorre mais rapidamente naquelas pessoas que não fazem um controle adequado de seus níveis de glicemia (açúcar) no sangue. Alguns cuidados simples podem prevenir tal condição e criar a possibilidade de se evitar as amputações de membros em 100% dos casos.

Veja as dicas:

1. A pessoa com pé diabético tem sintomas como: formigamentos; perda da sensibilidade local; dores; queimação nos pés e nas pernas; sensação de agulhadas; dormência; além de fraqueza nas pernas. Tais sintomas podem piorar à noite, ao deitar. Normalmente, a pessoa só se dá conta quando está num estágio avançado e quase sempre com uma ferida, ou uma infecção, o que torna o tratamento mais difícil devido aos problemas de circulação.

2. Os sintomas são mais frequentes após alguns anos com o diabetes mal controlado. Muitas pessoas passam a apresentar problemas de diminuição de circulação arterial e de sensibilidade em pés e pernas.

3. A prevenção é a maneira mais eficaz de evitar a complicação. Pacientes com diabetes tipo 1 e tipo 2 devem passar, regularmente, por uma avaliação médica dos pés.

4. O paciente deve examinar os pés diariamente em um lugar bem iluminado. Quem não tiver condições de fazê-lo, precisa pedir a ajuda de alguém. Deve-se verificar a existência de frieiras; cortes; calos; rachaduras; feridas ou alterações de cor. Uma dica é usar um espelho para se ter uma visão completa.

5. O paciente deve avisar de imediato o médico sobre eventuais alterações nos pés.

6. É preciso manter os pés sempre limpos, e usar água morna, e nunca quente, para evitar queimaduras. A toalha deve ser macia. É melhor não esfregar a pele. Mantenha a pele hidratada, mas sem passar creme entre os dedos ou ao redor das unhas.

7. Use meias sem costura. O tecido deve ser de algodão ou lã. Evitar sintéticos, como nylon.

8. Antes de cortar as unhas, o paciente precisa lavá-las e secá-las bem. Para cortar, usar um alicate apropriado, ou uma tesoura de ponta arredondada. O corte deve ser quadrado, com as laterais levemente arredondadas, e sem tirar a cutícula. Recomenda-se evitar idas a manicures ou pedicures, dando preferência a um profissional treinado, o qual deve ser avisado do diabetes. O ideal é não cortar os calos, nem usar abrasivos. É melhor conversar com o médico sobre a possível causa do aparecimento dos calos.

9. Os pés devem estar sempre protegidos, inclusive na praia e na piscina.

10. Os calçados ideais são os fechados, macios, confortáveis e com solados rígidos, que ofereçam firmeza. Antes de adquiri-los, é importante olhar com atenção para ver se há deformação. As mulheres devem dar preferência a saltos quadrados, que tenham, no máximo, 3 cm de altura. É melhor evitar sapatos apertados, duros, de plástico, de coro sintético, com ponta fina, saltos muito altos e sandálias que deixam os pés desprotegidos. Além disso, recomenda-se a não utilização de calçados novos, por mais de uma hora por dia, até que estejam macios.

Novembro Azul reforça a importância da prevenção do câncer de próstata


 

 

O penúltimo mês do ano pode ser uma boa oportunidade para colocar ordem na casa, fechar o orçamento do ano e planejar o seguinte. Mas é também o momento ideal para cuidar da saúde. Os próximos 28 dias são dedicados ao homem e à importância da prevenção do câncer de próstata. Neste mês é realizada a campanha Novembro Azul, que começou ontem.

Quase 70 mil casos da doença devem ser registrados este ano no Brasil, conforme estimativas do Instituto Nacional do Câncer (Inca), um a cada 7,6 minutos e mais de mil acima do que foi registrado no ano passado. O tumor é o tipo mais comum entre os homens, perdendo apenas para os de pele não melanoma, provocados principalmente pela exposição solar, tipo número um entre a população mundial.

A bandeira levantada pela campanha, realizada há seis anos, reforça a importância da dedicação à saúde, sobretudo de forma preventiva. O que se preconiza hoje é a saúde do homem. E não é só a prevenção do câncer, mas do envelhecimento precoce, o controle da hipertensão e do diabetes e das síndromes metabólicas.

Check-up regular

Segundo ele, exames rotineiros devem ser realizados a partir dos 40 anos por urologistas, clínicos gerais ou até por cardiologistas. No check-up, é bom lembrar, devem estar incluídos o toque retal e a dosagem de PSA, fundamentais para diagnosticar, precocemente, o câncer de próstata.

Quanto antes, melhor

Assim como outros tipos de tumores malignos, os de próstata costumam ser silenciosos no estágio inicial. É nesse período, porém, que os tratamentos, menos invasivos, por meio de radioterapia, costumam ser mais eficazes, garantindo cura em até 95% das situações.

O melhor, portanto, é prevenir e evitar que ela se instale. Mudanças de hábito também são cruciais, assim como em outros tipos de câncer, para manter a saúde em dia. Boa alimentação e prática de atividade física aliadas às consultas periódicas com um especialista podem garantir um dia a dia mais tranquilo.

Quanto aos temores dos tratamentos indicados para a doença, o especialista é enfático. O grande medo é a incontinência urinária, que pode acometer até 3% dos pacientes operados, e a disfunção erétil. Mas é importante dizer que disfunção tem cura, mas o câncer, somente nas fases iniciais.

47% dos homens com o tumor ignoram os sintomas da doença

Quase metade dos homens com câncer de próstata em estágio avançado desconhecem ou não dão importância aos sintomas da doença. É o que revelou uma pesquisa mundial, realizada em dez países.

O resultado do estudo, divulgado pela Coalizão Internacional para o Câncer de Próstata (IPCC, na sigla em inglês), mostra que ainda há receio por parte dos homens de receber o diagnóstico do tumor que, em estágio avançado, pode não ter cura.

O levantamento foi realizado com 900 pacientes e 360 cuidadores, na Alemanha, Reino Unido, França, Espanha, Itália, Holanda, Estados Unidos, Japão, Cingapura e Taiwan.

Dados da ONG Cancer Care mostram que 1,1 milhão de homens são afetados pelo câncer de próstata, todos os anos. A doença também é responsável por 307 mil mortes no mundo inteiro.

Ainda conforme o estudo, divulgado no mês passado, cerca de 10% dos pacientes chegam à primeira consulta médica com o tumor disseminado para outros órgãos.

Os sintomas mais comuns apresentados pelos pacientes do estudo mundial foram cansaço (86%), dores nas costas (82%), dor generalizada (70%), fraqueza (67%) e dificuldade para dormir (62%), além de incontinência urinária. Cerca de 40% dos homens suportaram os sinais por até um ano sem procurar ajuda médica.
 
Além disso, 34% relataram se sentir impotentes ao falar sobre os sintomas e 38% disseram achar difícil comentar o assunto. Outros 57% afirmaram que a dor diária era algo com o que precisavam conviver e 59% justificaram não saber que o desconforto estava relacionado ao câncer

A dieta Dash e a redução da pressão


http://ilovesaude.com/wp-content/uploads/2015/06/dieta-dash-01.jpg

Que o sal em excesso faz mal à saúde todo mundo está cansado de saber. Mas que tal, ao invés de uma dieta radical, você substituir alguns alimentos? No Brasil, a maior quantidade de sódio ainda provém do sal adicionado à mesa. A opção é por alimentos mais naturais, menos industrializados e com pouco sal.

É importante focar sempre na quantidade de sódio presente em cada alimento. Para isso, consulte sempre o rótulo. O sal tem 40% de sódio, que é um mineral. Ele está presente também nos alimentos industrializados. Tem sódio até em produtos doces, como os sucos e iogurtes.

A recomendação é de cinco gramas de sal por dia (1 colher de chá), ou dois gramas de sódio. Não é fácil cumprir. O consumo do brasileiro está acima de dez gramas por dia.

A quantidade de sódio tem que estar na tabela nutricional dos alimentos, que deve indicar a porção de referência, como três colheres de sopa, uma fatia ou um copo; a quantidade de sódio na porção; e quanto essa quantidade representa na alimentação de um adulto durante o dia todo. Se eu pego um produto e ele me dá 40%, 50% desse valor diário, é uma quantidade muito grande.

Comer menos sódio reduz a pressão arterial. Além disso, outras atitudes também ajudam como o controle do peso, a moderação no consumo de álcool, atividade física e a alimentação saudável. Uma dieta conhecida como 'Dash' ajuda a reduzir a pressão.

A  aposta nos alimentos naturais que são ricos em potássio, cálcio, magnésio e fibras e reduz os alimentos naturais, preparados em casa ou industrializados, ricos em gorduras saturadas e totais e em açúcar.

No Brasil, o consumo de cálcio, magnésio e fibras está abaixo do recomendado. Entretanto, o cálcio e o potássio protegem o coração. Frutas, verduras, legumes, leguminosas, cereais integrais e leite são as principais fontes de potássio.

Já o cálcio está presente nos leites e derivados, principalmente. Frutas, verduras, legumes, leguminosas, cereais integrais e frutas oleaginosas são fontes de magnésio.

Prevenção do câncer de mama é essencial no combate à doença


 http://itanhanga.com.br/site/wp-content/uploads/2015/10/outubro-rosa-1.jpg

Você deve ter percebido a predominância do rosa claro no mês de outubro. Isso não foi à toa. A cada ano, o Movimento Outubro Rosa busca conscientizar o público feminino sobre a importância da prevenção do câncer de mama, pois o diagnóstico precoce aumenta as chances de tratamento e cura.

 O Instituto Nacional de Câncer (Inca) informa que, no Brasil, a recomendação atual é a de que mulheres entre 50 e 69 anos façam uma mamografia a cada dois anos. Mas o exame não é o único aspecto importante. Estima-se que 30% dos casos da doença possam ser evitados quando são adotados hábitos saudáveis de vida, como manter uma boa alimentação e praticar exercícios.

 No Brasil, estima-se que, dos novos casos de câncer a cada ano, 25% são de mama. Em 2015, o Inca já contabiliza cerca de 57.120 novos casos da doença. Os dados relativos ao ano de 2013 apontaram 14.388 mortes em decorrência do câncer de mama. Por isso, diante de qualquer sinal de anormalidade, é importante consultar um médico.