10 dicas para quem tem má circulação do sangue


Ficar com os pés elevados, além de relaxar, melhora o retorno do sangue às veias (Crédito: Shutterstock)


Causada pelo acúmulo de gordura nas paredes das artérias, a má circulação do sangue é mais comum entre as mulheres, especialmente aquelas que estão acima do peso ideal e fazem uso da pílula anticoncepcional habitualmente.

Algumas medidas básicas podem ajudar a prevenir e até mesmo tratar a má circulação sanguínea. São elas:

1. Vestir roupas confortáveis. Evite peças que comprimam os músculos das pernas e a cintura, bem como sapatos e tênis apertados, que dificultam a circulação do sangue.

2. Comer alimentos ricos em fibras. Eles ajudam na boa digestão, o que evita o aumento da pressão abdominal e a debilitação das paredes das veias, reduzindo, assim, o risco de prisão de ventre, varizes e hemorroidas.

3. Manter as pernas elevadas. Levantar um pouco as pernas enquanto se está sentado ou mantê-las elevadas por alguns minutos ao se deitar na cama ajuda a dar um bom retorno do sangue às veias. Dormir com os pés sobre uma almofada alta, para melhorar o retorno venoso, também é aconselhável          .

4. Fazer exercícios regularmente. Você provavelmente já ouviu falar que praticar exercícios físicos beneficia a circulação sanguínea. Segundo Dr. Ary, isso ocorre porque, quando os músculos são exercitados, eles atuam como "corações secundários", comprimindo as veias e empurrando o sangue para a parte superior do corpo.

5. Optar por alimentos com gorduras poli-insaturadas. Ao contrário das saturadas, elas reduzem a viscosidade do sangue, aumentando a fluidez da corrente sanguínea. Além disso, esse tipo de lipídio ajuda a regular a pressão arterial, a vasodilatação e a coagulação. Procure reduzir a ingestão de laticínios e carnes bovinas, que contêm gorduras saturadas.

6. Manter-se bem hidratado. Beber entre dois e três litros de água por dia facilita a eliminação de toxinas e melhora a circulação.

7. Evitar o calor excessivo. Ficar exposto a temperaturas muito altas ou durante um longo período prejudica a circulação do sangue, uma vez que os capilares sanguíneos sofrem vasodilatação, provocando cansaço, sensação de peso, inchaço e dor nas extremidades.

8. Fazer massagens relaxantes. A técnica favorece a circulação sanguínea e também melhora a irrigação dos tecidos.

9. Usar meias elásticas. O uso diário de meias elásticas de compressão melhora a circulação sanguínea de retorno, uma vez que ajuda o sangue a subir até o coração.

10. Deixar de fumar. A nicotina contida no cigarro danifica as artérias e favorece o aparecimento de varizes.

Conheça as causas e tratamentos das dores na nuca



Você acordou de manhã com o pescoço "torcido" para um lado e dói muito quando tenta mudar de posição? É o famoso torcicolo, um espasmo na musculatura do pescoço que ocorre depois que dormimos em uma posição incomum, após a exposição a uma corrente de ar frio, ou durante uma fase de estresse. Em geral os sintomas melhoram após uma semana, mas o ortopedista pode ajudar a gerenciar a dor. Não há evidências de que sprays canforados reduzam o incômodo.

10% a 15% da população sofrerá com dores na cervical, ou seja, na região da nuca, em alguma fase da vida. Esse é o segundo tipo mais comum de dor no sistema musculo esquelético. Aparece após movimentos bruscos, quando se passa muito tempo em uma posição errada, ou por excesso de tensão. A dor irradia para os braços.

Causas: em geral, a dor cervical é causada por problemas posturais, posição errada ao dormir, excesso de tensão ou acidentes (como uma freada brusca).

Diagnóstico: a maioria dos casos é diagnosticada apenas com a conversa com o médico e o exame clínico. A radiografia ajuda a diagnosticar desvios na coluna vertebral ou algum outro tipo de lesão, e a ressonância magnética pode afastar outros problemas.

Tratamento: o médico indica o uso de analgésicos ou anti-inflamatórios. Exercícios leves de alongamento tambémajudam a prevenir e aliviar as dores. Não há evidências de que usar colares cervicais ajuda a tratar a dor, segundo o Australian Acute Musculoskeletal Pain Guidelines Group [Diretrizes do Grupo de Dor Musculoesquelética Aguda], comissão médica que criou um guia para manejo de dores agudas.

O médico deve estar atento a: em alguns casos, a dor cervical indica presença de fratura, infecção, tumores ou problemas cardiovasculares, como aneurisma na carótida ou hemorragia cerebral. Sedentários e pessoas que trabalham no computador são candidatos a sofrer de dores cervicais, assim como aquelas que têm dificuldade de relaxar. Tenistas também podem sofrer com o problema. O tabagismo também é fator de risco, pois diminui a circulação sanguínea nos discos intervertebrais.


Tipos de atendimento pré-hospitalar


http://1.bp.blogspot.com/_3wX-O5j26l4/SdJwooK2ZbI/AAAAAAAAACU/qOWcSEYBtcA/s320/ambulancia7.jpg

Manutenção da vida com ações cujo objetivo é o de garantir a vida da vítima, sobrepondo à "qualidade de vida" que são ações desenvolvidas para reduzir as sequelas que possam surgir durante e após o atendimento.

Primeiros Socorros são os cuidados rápidos e imediatos prestados a uma pessoa, fora de o ambiente hospitalar, com o objetivo de manter as funções vitais e evitar o agravamento das lesões já existentes até que receba assistência médica especializada.

Tais cuidados obedecem um protocolo de atendimento pré-hospitalar, que segue uma sequencia padronizada de procedimentos estabelecidos cientificamente para o atendimento de vítimas de trauma ou doença.

De acordo com a legislação brasileira existem dois tipos de Atendimento Pré Hospitalar, o Fixo e o Móvel.

ATENDIMENTO PRÉ-HOSPITALAR FIXO

O Fixo está dividido em dois tipos:

1°. UNIDADE DE URGÊNCIAS E EMERGÊNCIAS E A ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE E O PROGRAMA DE SAÚDE DA FAMÍLIA As atribuições e prerrogativas das unidades básicas de saúde e das unidades de saúde da família em relação ao acolhimento/atendimento das urgências de baixa gravidade/complexidade devem ser desempenhadas por todos os municípios brasileiros, independentemente de estarem qualificados para atenção básica (PAB) ou básica ampliada (PABA).

2°. UNIDADES NÃO-HOSPITALARES DE ATENDIMENTO ÀS URGÊNCIAS E EMERGÊNCIAS

Estas unidades, que devem funcionar nas 24 horas do dia, devem estar habilitadas a prestar assistência correspondente ao primeiro nível de assistência da média complexidade (M1). Pelas suas características e importância assistencial, os gestores devem desenvolver esforços no sentido de que cada município sede de módulo assistencial disponha de, pelo menos uma, destas Unidades, garantindo, assim, assistência às urgências com observação até 24 horas para sua própria população ou para um agrupamento de municípios para os quais seja referência.

As atribuições e formatações devem ser conferidas na PORTARIA Nº 2048, DE 5 DE NOVEMBRO DE 2002 emitida pelo Ministério da Saúde site do Ministério da Saúde.

ATENDIMENTO PRÉ-HOSPITALAR MÓVEL

O Móvel também esta dividido em dois tipos: 1°. Atendimento pré-hospitalar móvel primário: Quando o pedido de socorro for oriundo de um cidadão.

2°. Atendimento pré-hospitalar móvel secundário: Quando a solicitação partir de um serviço de saúde, no qual o paciente já tenha recebido o primeiro atendimento necessário à estabilização do quadro de urgência apresentado, mas necessite ser conduzido a outro serviço de maior complexidade para a continuidade do tratamento.

Considera-se como nível pré-hospitalar móvel na área de urgência e emergência, o atendimento que procura chegar precocemente à vítima, após ter ocorrido um agravo à sua saúde (de natureza clínica, cirúrgica, traumática, inclusive as psiquiátricas), que possa levar a sofrimento, sequelas ou mesmo à morte, sendo necessário, portanto, prestar-lhe atendimento e/ou transporte adequado a um serviço de saúde devidamente hierarquizado e integrado ao Sistema Único de Saúde.

O Serviço de atendimento pré-hospitalar móvel deve ser entendido como uma atribuição da área da saúde, sendo vinculado a uma Central de Regulação, com equipe e frota de veículos compatíveis com as necessidades de saúde da população de um município ou uma região, podendo, portanto, extrapolar os limites municipais. Esta região de cobertura deve ser previamente definida, considerando se aspectos demográficos, populacionais, territoriais, indicadores de saúde, oferta de serviços e fluxos habitualmente utilizados pela clientela. O serviço deve contar com a retaguarda da rede de serviços de saúde, devidamente regulada, disponibilizada conforme critérios de hierarquização e regionalização formalmente pactuados entre os gestores do sistema loco-regional.


5 perguntas e respostas sobre o zika vírus


Aedes aegypti, que transmite dengue e chikungunya, também pode transmitir o zika vírus (Foto: CDC-GATHANY/PHANIE/AFP)

O zika vírus foi identificado no Brasil pela primeira vez no final de abril por pesquisadores da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Pertencente à mesma família dos vírus da dengue da febre amarela, o zika é endêmico de alguns países da África e do sudeste da Ásia. Veja perguntas e respostas sobre a doença:

O que é o Zika Vírus?

Da família Flaviviridae e do gênero Flavivirus, o Zika Vírus provoca uma doença com sintomas muito semelhantes ao da dengue, febre amarela e chikungunya.

O vírus foi isolado pela primeira vez no fim da década de 1940, por meio de estudos realizados em macacos que habitavam a floresta de Zika, na Uganda.

O primeiro caso da doença documentada em um humano é de 1964 e relata os mesmos sintomas observados atualmente. O primeiro surto da doença observado fora dos continentes da Ásia e da África foi registrado em 2007, na Oceania.

Quais são os sintomas provocados pelo Zika Vírus?

De baixa letalidade, a chamada febre zika causa febre baixa, hiperemia conjuntival (olhos vermelhos) sem secreção e sem coceira, artralgia (dores nas articulações) e exantema maculo-papular (manchas ou erupções na pele com pontos brancos ou vermelhos), dores musculares, dor de cabeça e dor nas costas.

Como o Zika Vírus é transmitido?

O Zika Vírus é transmitido pela picada dos mosquitos da família Aedes (aegypti, africanus, apicoargenteus, furcifer, luteocephalus e vitattus). A partir da picada infectada, a doença tem um período de incubação de aproximadamente quatro dias até os sintomas começarem a se manifestar e os sinais e sintomas podem durar até 7 dias.

Qual é o tratamento para o Zika Vírus?

Como não existe um medicamento específico contra o vírus, o tratamento feito apenas para aliviar os sintomas. Assim, o uso de paracetamol, sob orientação médica, é indicado nesses casos.

Conforme orientações do Ministério da Saúde, deve-se evitar o uso de ácido acetilsalicílico e drogas anti-inflamatórias devido ao risco aumentado de complicações hemorrágicas, como ocorre com a dengue.  

Como se prevenir do Zika Virus?

Como o Zika Vírus é transmitido por meio da picada do mosquito Aedes aegypti, as medidas de prevenção e controle são as mesmas já adotadas para a dengue, febre amarela e chikungunya, como eliminar os possíveis criadouros do mosquito, evitando deixar água acumulada em recipientes como pneus, garrafas, vasos de plantas, entre outros.

Como são os sintomas do Zika Vírus



http://s0.ejesa.ig.com.br/infograficos/15/05/15-info-zika.jpg

O Zika vírus é transmito aos humanos através de picadas do inseto Aedes Aegypti, que geralmente picam ao final do dia e à noite.

O período de incubação varia entre 3 e 12 dias após o contágio. A enfermidade é autolimitada. Em alguns dias, o organismo se encarrega de combater o vírus, que desaparece sem deixar sequelas.

esta doença infecciosa, pode ser confundida com uma simples gripe, provocando sintomas como:
  • Febre, entre 37,8°C e 38,5°C.
  • Dor nas articulações, principalmente das mãos e pés;
  • Dor nos músculos do corpo;
  • Dor de cabeça, que se localiza principalmente atrás dos olhos;
  • Conjuntivite, que é uma inflamação do olho e que provoca cor avermelhada dos olhos, sensação de picada que leva a lacrimejar, inchaço das pálpebras e secreção amarela;
  • Hipersensibilidade nos olhos;
  • Manchas vermelhas na pele, que inciam na face e que se podem espalhar pelo corpo e, que podem ser confundidas com sarampo;
  • Cansaço físico e mental.
Não existe vacina contra a doença, que é de notificação compulsória. A única forma de prevenção é combater os focos do mosquito Aedes, típico das regiões urbanas de clima tropical e subtropical, e que ataca principalmente nos períodos de muito calor e chuva, pela manhã e ao entardecer.

Como nas outras viroses, o tratamento visa ao alívio dos sintomas com analgésicos, anti-inflamatórios não-esteroides e antitérmicos que não contenham ácido acetilsalicílico. É muito importante manter o paciente bem hidratado e procurar um médico para assim que os primeiros sintomas se manifestarem.

A importância de cuidar dos joelhos



Os joelhos, a maior articulação do corpo humano e que une o fêmur à tíbia e à patela, são uma estrutura de absorção de carga e energia que aguenta todo o peso corporal quando andamos e corremos e por isso, devem ser tratados com cuidado para evitar lesões. Conheça as precauções que você deve ter para não ter problemas com os joelhos.


O sedentarismo é uma das maiores causas de problemas nos joelhos. Ficar muito tempo sentado leva ao enfraquecimento da musculatura, a qual deve ser fortalecida para sustentar a maior articulação do corpo. Por isso, invista na prática de atividades físicas.


Por outro lado, exercícios mal feitos podem causar problemas e agravar as lesões já existentes, agachamentos realizados de maneira incorreta e exercícios que utilizam muita carga podem ser prejudiciais.


Logo, o melhor a ser feito é procurar a orientação de um profissional, geralmente um educador físico ou fisioterapeuta, o qual irá instruí-lo sobre a melhor maneira para executar o exercício.


Além disso, praticar exercícios é importante, pois ajuda a manter o corpo em forma, evitando o sobrepeso, outro fator que contribui para dores e lesões nos joelhos. Já no caso dos idosos, é importante praticar exercícios para treinar o equilíbrio e que utilizem pouca ou quase nenhuma carga, já que os mais velhos são mais suscetíveis à artrite, doença que leva à destruição das articulações.


Escolha o calçado certo


No caso das mulheres, o uso constante de salto alto pode ser prejudicial aos joelhos, uma vez que o salto alto demais altera o centro de gravidade do corpo e obriga a mulher a colocar o joelho para dentro, o que pode comprometer e causar problemas na articulação.


Por outro lado, calçados retos demais, como chinelos e sandálias rasteiras, também podem causar lesões, pois recebem todo o impacto do solo e, assim, predispõem a cartilagem, a qual, de acordo com especialistas trata-se da estrutura mais perfeita de absorção de impacto que existe, ao desgaste.

Portanto, o sapato ideal é aquele que possui um pequeno salto ou salto do tipo anabela. Outra opção, a mais adequada segundo os profissionais da área, é o tênis, já que esse tipo de calçado amortece e estabiliza os movimentos.


Mulheres, atenção!


O cuidado com os joelhos deve ser redobrado para as mulheres, pois, com o passar dos anos, elas tendem a perder fibra muscular, o que acarreta perda de força nos músculos, e massa óssea. Essas perdas acontecem com pessoas de ambos os sexos, mas são mais intensas no caso das mulheres. Por isso, o cuidado com os joelhos deve ser constante.


É importante lembrar que a prática de exercícios físicos e o uso de calçados adequados ajudam a prevenir problemas, mas ao sentir dores ou qualquer tipo de incômodo na maior articulação do corpo, um especialista deve ser procurado, para que o tratamento adequado seja desenvolvido. O diagnóstico de lesões, geralmente, é feito pelo histórico do paciente e por exames físicos e outros tipos de testes. A reabilitação pode envolver bolas, aparelhos de ginástica e outras atividades.

 

Fonte: Dicas de Mulher

Gêmeos idênticos que mostram os efeitos do cigarro na aparência humana


Todos sabem que o cigarro pode gerar efeitos agravados na saúde humana. Mas você já imaginou que isso pode refletir na aparência?
Para provar essa tese, um estudo comparou gêmeos idênticos. Em todos os casos havia ao menos um deles que fumava regularmente.
A diferença daqueles mais saudáveis nesse aspecto é visível, dando a impressão de que são muito mais jovens que os irmãos da mesma idade.
Para testar sua capacidade de percepção, embaralhamos os gêmeos. Veja a imagem de cada um deles lado a lado e descubra se o fumante é o da direita ou da esquerda. A resposta está abaixo de cada um.

Gêmeos idênticos que mostram os efeitos do cigarro na aparência humana

Todos sabem que o cigarro pode gerar efeitos agravados na saúde humana. Mas você já imaginou que isso pode refletir na aparência?

Esquerda (ambos fumam mas a da esquerda passou 17 anos a mais com o vício)

2

Direita (ambos fumam mas o da direita passou 17 anos a mais com o vício)

3

Direita

4

Esquerda

5

Esquerda

6

Direita

7

Direita

8

Direita

9

Esquerda

10

Esquerda

Fonte: Innamag