Saiba mais sobre a Microcefalia




http://jornalpequeno.com.br/wp-content/uploads/2015/11/image008.jpg

A microcefalia é uma doença na qual o bebê nasce com a cabeça significativamente menor que o normal em relação ao restante do corpo.

Ela é detectada durante a infância e por isso o diagnóstico precoce da condição é importante para possibilitar algumas formas de tratamento.

Causas da microcefalia

Diversas patologias podem causar uma microcefalia, de origem congenital: uma parada prematura do crescimento durante a gravidez, um fluxo sanguíneo insuficiente durante a gravidez, algumas doenças cromossômicas. Desnutrição e abuso de drogas pela gestante também aumentam os riscos da doença.

Recentemente, um surto de microcefalia no Nordeste do Brasil levantou a hipótese de participação do vírus da febre zika na indução da doença.

Sintomas da microcefalia

Os sintomas da microcefalia são tamanho de crânio inferior ao normal, estimado pela medida do perímetro craniano; forma particular do crânio em casos que não envolvam craniostenose, ou seja, fechamento da calota craniana antes do momento adequado, e retardo mental mais ou menos profundo.

Diagnóstico da microcefalia

O diagnóstico da microcefalia é relativamente fácil pois se baseia no exame da morfologia do crânio e da circunferência da cabeça. Esse exame é realizado com a ajuda de uma fita métrica que permite a medida do perímetro craniano e a comparação com as curvas da normalidade. O diagnóstico da microcefalia pode também ser feito durante a gravidez, por meio de uma ultrassonografia pré-natal.

Tratamento da microcefalia

De maneira geral, a microcefalia é geralmente impossível de corrigir. Em algumas situações, principalmente em casos de craniostenose, uma intervenção cirúrgica visando abrir levemente em alguns locais a caixa craniana é possível para permitir ao cérebro se desenvolver mais ou menos normalmente. Uma grande parte do tratamento consiste também em gerir os sintomas da microcefalia, como o retardo mental e os outros problemas de desenvolvimento.

Prevenção da microcefalia

Para evitar as anomalias da criança no nascimento e principalmente a microcefalia é importante que a gravidez se desenvolva da melhor forma possível e que a mãe não consuma substâncias tóxicas para o desenvolvimento do feto, como o álcool, o tabaco e as drogas.


Comente:

Nenhum comentário