Novembro Azul reforça a importância da prevenção do câncer de próstata




 

 

O penúltimo mês do ano pode ser uma boa oportunidade para colocar ordem na casa, fechar o orçamento do ano e planejar o seguinte. Mas é também o momento ideal para cuidar da saúde. Os próximos 28 dias são dedicados ao homem e à importância da prevenção do câncer de próstata. Neste mês é realizada a campanha Novembro Azul, que começou ontem.

Quase 70 mil casos da doença devem ser registrados este ano no Brasil, conforme estimativas do Instituto Nacional do Câncer (Inca), um a cada 7,6 minutos e mais de mil acima do que foi registrado no ano passado. O tumor é o tipo mais comum entre os homens, perdendo apenas para os de pele não melanoma, provocados principalmente pela exposição solar, tipo número um entre a população mundial.

A bandeira levantada pela campanha, realizada há seis anos, reforça a importância da dedicação à saúde, sobretudo de forma preventiva. O que se preconiza hoje é a saúde do homem. E não é só a prevenção do câncer, mas do envelhecimento precoce, o controle da hipertensão e do diabetes e das síndromes metabólicas.

Check-up regular

Segundo ele, exames rotineiros devem ser realizados a partir dos 40 anos por urologistas, clínicos gerais ou até por cardiologistas. No check-up, é bom lembrar, devem estar incluídos o toque retal e a dosagem de PSA, fundamentais para diagnosticar, precocemente, o câncer de próstata.

Quanto antes, melhor

Assim como outros tipos de tumores malignos, os de próstata costumam ser silenciosos no estágio inicial. É nesse período, porém, que os tratamentos, menos invasivos, por meio de radioterapia, costumam ser mais eficazes, garantindo cura em até 95% das situações.

O melhor, portanto, é prevenir e evitar que ela se instale. Mudanças de hábito também são cruciais, assim como em outros tipos de câncer, para manter a saúde em dia. Boa alimentação e prática de atividade física aliadas às consultas periódicas com um especialista podem garantir um dia a dia mais tranquilo.

Quanto aos temores dos tratamentos indicados para a doença, o especialista é enfático. O grande medo é a incontinência urinária, que pode acometer até 3% dos pacientes operados, e a disfunção erétil. Mas é importante dizer que disfunção tem cura, mas o câncer, somente nas fases iniciais.

47% dos homens com o tumor ignoram os sintomas da doença

Quase metade dos homens com câncer de próstata em estágio avançado desconhecem ou não dão importância aos sintomas da doença. É o que revelou uma pesquisa mundial, realizada em dez países.

O resultado do estudo, divulgado pela Coalizão Internacional para o Câncer de Próstata (IPCC, na sigla em inglês), mostra que ainda há receio por parte dos homens de receber o diagnóstico do tumor que, em estágio avançado, pode não ter cura.

O levantamento foi realizado com 900 pacientes e 360 cuidadores, na Alemanha, Reino Unido, França, Espanha, Itália, Holanda, Estados Unidos, Japão, Cingapura e Taiwan.

Dados da ONG Cancer Care mostram que 1,1 milhão de homens são afetados pelo câncer de próstata, todos os anos. A doença também é responsável por 307 mil mortes no mundo inteiro.

Ainda conforme o estudo, divulgado no mês passado, cerca de 10% dos pacientes chegam à primeira consulta médica com o tumor disseminado para outros órgãos.

Os sintomas mais comuns apresentados pelos pacientes do estudo mundial foram cansaço (86%), dores nas costas (82%), dor generalizada (70%), fraqueza (67%) e dificuldade para dormir (62%), além de incontinência urinária. Cerca de 40% dos homens suportaram os sinais por até um ano sem procurar ajuda médica.
 
Além disso, 34% relataram se sentir impotentes ao falar sobre os sintomas e 38% disseram achar difícil comentar o assunto. Outros 57% afirmaram que a dor diária era algo com o que precisavam conviver e 59% justificaram não saber que o desconforto estava relacionado ao câncer


Comente:

Nenhum comentário