Verdades e mentiras sobre a epilepsia





 

A epilepsia e suas crises recorrentes de convulsão ainda são um distúrbio envolvido em mitos e mistérios. Desvendamos alguns deles. Descubra a seguir:

1. Deve-se segurar a língua de quem está tendo convulsão para que ela não seja engolida?

Não há necessidade de segurar a língua, pois ela não é "engolida". Isso é um mito que pode causar ferimentos no paciente e em quem o socorre. O que acontece é que durante a convulsão podem ocorrer movimentos mastigatórios que fazem parte dos sintomas.

2. Convulsões são sempre ataques epiléticos?

Não, necessariamente. Existem pessoas que tiveram apenas uma convulsão, causada por traumatismos ou uma baixa de cálcio no sangue, por exemplo, e nem por isso são epiléticos.

3. É preciso tomar cuidado para não pegar epilepsia por meio do contato com a baba?

Esse é um dos maiores equívocos sobre a doença e o que gera mais preconceito e medo. A baba é apenas um excesso de saliva que faz parte da lista de sintomas. Mas não transmite a doença, até porque nem a convulsão em si, nem a epilepsia são contagiosas.

4. O desmaio é um tipo de convulsão?

Não. O desmaio ou síncope é a perda da consciência causada por algum problema sistêmico, por exemplo, uma baixa na pressão arterial ou uma arritmia cardíaca.

*Quem responde: Juan Antonio Castro, neurocirurgião do Hospital e Maternidade São Camilo e do Serviço de Epilepsia do Hospital das Clínicas da FMUSP; Dr. Rubens Wajnsztejn, neuropediatra e coordenador do núcleo especializado em aprendizagem da Faculdade de Medicina do ABC.


Comente:

Nenhum comentário