Dia mundial do AVC: como prevenir e tratar



http://www.blogstudiopilates.com.br/wp-content/uploads/2012/10/avc_hemo.jpg

No Brasil, o AVC é um dos principais indutores à morte e atinge pessoas de diferentes faixas etárias. Só no ano de 2010, foram registrados 33.369 óbitos de pessoas com idade variáveis de até 70 anos em decorrência da doença.

O próximo dia 29 de outubro é historicamente destinado ao Dia Mundial de Combate ao AVC. Nesta data, organizações de saúde, empresas, ONGs e entidades intensificam alertas para a prevenção e para se identificar os primeiros sintomas da doença.

Os principais cuidados que devem ser tomados para se evitar um AVC estão: manter hábitos saudáveis, controlar a hipertensão e diabetes, não ingerir bebidas alcoólicas em excesso, evitar o fumo e também o sobrepeso. Mesmo mantendo esses cuidados, é necessário observar a presença de alguns sintomas como alterações de movimento, visão, dificuldade para engolir, tonturas ou dor de cabeça intensa.

Qualquer pessoa pode sofrer um AVC, por isso é importante saber identificar a ocorrência do acidente vascular cerebral. Para quem se deparar uma pessoa sofrendo um AVC, ele recomenda que o mais indicado é encaminhá-la ao pronto socorro imediatamente. Ao contrário de convulsões, por exemplo, no caso de um AVC não existe uma forma de posicionar a pessoa adequadamente. O correto é buscar o auxílio de um local com equipe neurológica de plantão o mais rápido possível.

O que é o AVC?

Essa é a terceira causa de morte nos EUA e na Inglaterra e causa 10% das mortes ao redor do mundo. Trata-se de um distúrbio do fluxo de sangue para o cérebro. A vítima de um derrame pode sofrer danos cerebrais graves quando as pessoas próximas a ela não conseguem reconhecer os seus sintomas.
É importante que você saiba como reconhecer um caso do acidente vascular cerebral, especialmente se você passa tempo com alguém que tenha fatores de risco associados a derrames. Existe tratamento disponível para minimizar os danos causados pelo derrame, mas a pessoa deve ir a um hospital para ser avaliada e receber o tratamento dentro de 60 minutos do início dos sintomas.

Sintomas do AVC
  • Súbita dormência ou fraqueza no rosto, braço ou perna, especialmente em um lado do corpo
  • Súbita inabilidade de falar ou entender o que está sendo dito para você
  • Súbita confusão ou desorientação
  • Súbita dificuldade em ver com um ou ambos os olhos
  • Dificuldade súbita em caminhar, tontura, perda de equilíbrio ou coordenação
  • Dor de cabeça súbita e aguda sem causa aparente. Esta dor é mais comum em casos de derrames hemorrágicos, mas ela pode acompanhar qualquer tipo de derrame.

Atenção: o tempo é precioso para socorrer uma vítima do AVC. Quanto mais tempo você esperar para ligar para a emergência, menos provável será que o paciente se recupere. Muitas vezes os pacientes \"não se sentem bem\" e acham que vão melhorar na manhã seguinte, ou se fizerem uma pausa. O ideal é que a pessoa com suspeita de um AVC seja atendida por uma equipe médica o mais rápido possível.



Drenagem linfática trazendo saúde para o seu corpo



Quando alguém fala que o toque provoca milagres, não tem como eu não associar a drenagem linfática. eu sei que existem outras e talvez mais eficazes para determinados casos, mas uma drenagem linfática bem feita traz benefícios quase imediatos. Vou me usar como exemplo.
Teve um período na minha vida que eu passava muito tempo em pé. Então, no final do dia, meus pés estavam inchados. A sensação que eu tinha e que estava com ma ancora em cada pé, porque além do cansaço do dia de trabalho, tinha o inchaço. Então, para mim, o primeiro beneficio começou com a diminuição desse inchaço, o que melhorou demais o meu cansaço. Entendeu só porque, nesse ponto, a drenagem trouxe mais saúde para o meu corpo? Os resultados são visíveis logo após a primeira sessão.
Os benefícios da drenagem linfática não deixam dúvidas que é uma ótima opção para manutenção da saúde. É indicada também para pessoas que estão passando por momentos de excesso de estresse, baixa auto-estima e ansiedade já que traz relaxamento e bem estar.
Fisiologicamente, a drenagem desintoxica o organismo, aumentando a frequência urinária, reduzindo a sensação de peso nas pernas  permitindo que se restabeleça a circulação linfática correta. Promove oxigenação das células, eliminação das toxinas, melhora da circulação sanguínea reduzindo: acnes, edemas, olheiras e bolsas ao redor dos olhos. Ela também traz benefícios em pré e pós operatórios, combate a celulite. É uma terapia excelente!
Sou fisioterapeuta, não tenho mais essa carga de trabalho que me faz ficar com os pés inchados ao fim do dia, mas não dispenso a drenagem linfática quando sinto que estou mais inchada ou estou passando por um período mais estressante.

Outubro Rosa: 10 fatos que você deve saber sobre o câncer de mama


Dez dúvidas frequentes sobre o câncer de mama

Ola pessoal! Estamos em outubro, mês do Outubro Rosa. É o mês da conscientização sobre o câncer de mama, que começou nos Estados Unidos em 1990 representado por um laço cor de rosa e que ganhou força no mundo todo.

O câncer de mama é o segundo tipo mais comum em todo o mundo e o mais frequente em mulheres. De acordo com o INCA (Instituto Nacional de Câncer), só este ano, mais de 57 mil novos casos devem ser diagnosticados no Brasil.

O acompanhamento médico e a realização da mamografia a partir dos 40 anos são fundamentais para um bom prognóstico. Se diagnosticado precocemente, o câncer de mama tem uma chance de cura de até 95%.

Leia algumas coisas que voê deve saber sobre o câncer de mama:

- Há diversos fatores que aumentam o risco de desenvolver um câncer de mama: sexo feminino, idade superior a 40 anos, raça branca, aumento da densidade mamária na mamografia, obesidade na pós-menopausa, primeira menstruação antes dos 13 anos, menopausa tardia, ausência de gestação ou gestação em idade tardia (depois dos 35 anos), terapia de reposição hormonal na pós-menopausa, história pessoal de câncer de mama, número de parentes de primeiro grau com câncer de mama e frequente ingestão de álcool em doses moderadas a altas.

- Apesar de portadoras de câncer de mama citarem outros familiares com o problema, apenas 10% dos casos podem apresentar mutações genéticas hereditárias, como o BRCA1 e BRCA2.

- A relação entre o uso de anticoncepcionais orais e o aumento no risco de câncer de mama ainda é controverso. Estudos epidemiológicos com milhares de mulheres não demonstraram aumento significativo no risco de câncer de mama. Além do mais, os anticoncepcionais atuais possuem dosagem hormonal inferior aos que eram usados antigamente.

- O câncer de mama no sexo masculino é raro e representa 1% de todos os casos diagnosticados. A incidência em mulheres chega a ser 100 vezes maior do que em homens.

- O rastreamento de câncer de mama com mamografia anual é indicado em mulheres a partir de 40 anos, conforme recomendado pela Sociedade Brasileira de Mastologia. Nos casos suspeitos, a confirmação do diagnóstico de câncer de mama é feito por meio da biópsia de lesões identificadas na mamografia, ultrassom, ressonância mamária ou exame clínico.

- Menos de 10% dos tumores de mama são identificados por meio do autoexame. Ele não deve ser considerado como substituto à realização da mamografia porque não foi demonstrada redução da mortalidade por câncer com essa prática. Mas, nem por isso deve ser abandonado, pois o autoexame pode reduzir o número de casos avançados.

- Aproximadamente 90% dos nódulos de mama palpáveis em mulheres entre 20 e 50 anos são benignos, como os fibroadenomas, cistos ou necroses do tecido adiposo. Algumas características clínicas, como inchaço da pele, retração cutânea, ulceração e sangramento pelo mamilo podem indicar a presença de câncer de mama.

- Existem cinco modalidades de tratamento que devem ser avaliadas conforme as características de cada caso: cirurgia, radioterapia, quimioterapia, hormonoterapia e terapias -alvo.

- A cirurgia é a base do tratamento curativo. Ela pode ser conservadora, quando preserva a mama, ou radical, quando há a retirada da mama e do mamilo. A radioterapia é um tratamento complementar para reduzir o retorno da doença. A quimioterapia, que também é um tratamento complementar, além de reduzir a recidiva do câncer, também diminui a possibilidade de metástase em outros órgãos. A hormonoterapia bloqueia o estímulo dos hormônios femininos sobre as células tumorais e está indicada para as pacientes com tumores que expressam receptores hormonais. Trastuzumabe é uma terapia-alvo indicada para pacientes com superexpressão da proteína HER2 no tumor.

- Quanto mais precoce for diagnosticado o câncer de mama, maior a chance de cura. Tumores em estádios iniciais apresentam chance de cura em 80 a 95% dos casos Nos tumores em estágios avançados, a chance de cura cai para 50 a 70% dos casos.

- Algumas medidas podem reduzir o risco de câncer de mama. A amamentação pode reduzir o risco em 4,3% para cada 12 meses dessa prática. A ingestão de alimentos ricos em fitoestrogênios, como soja (isoflavona) e as frutas (lignanas) também pode ter efeito protetor. A prática de atividade física regular e controle do sobrepeso na pós-menopausa também reduzem o risco. Além disso, deve-se evitar o uso de terapia de reposição hormonal na menopausa por período prolongado e a ingestão de grandes quantidades de álcool.

- Pacientes com lesões precursoras de câncer de mama podem ter o seu risco reduzido quando realizado o tratamento com tamoxifeno e outros inibidores estrogênicos por cinco anos consecutivos. Pacientes com mutações hereditárias BRCA1 e BRCA2, cujo risco para desenvolver um câncer de mama é de 50% ou mais, podem se beneficiar preventivamente da mastectomia profilática. Apenas um médico especialista poderá avaliar cada caso e indicar a melhor forma de prevenção ou tratamento da doença.

Prevenção é a palavra da ordem quando pensamos em câncer de mama. Por isso que essa mobilização do outubro rosa é tão importante.

Como cada tipo de sapato afeta nossos pés?



A saúde das articulações, nossa capacidade de caminhar de pé e, inclusive, a otimização do rendimento esportivo – para citar apenas alguns exemplos – dependem dos nossos pés. No entanto, boa parte da população continua a ignorar os cuidados que devem ser tomados com eles e suas necessidades. Graças aos 26 ossos, 33 articulações e 107 ligamentos que compõem os pés é possível se movimentar de um lugar para outro, garantir a estabilidade necessária, e suportar o peso. Mas, maltratar esta parte tão fundamental do corpo pode causar dores nos joelhos, problemas no menisco, no quadril e na coluna vertebral (lombalgias, ciatalgias e discopatias vertebrais, entre outros).

foto

Sandálias e chinelos

Frequentemente, provocam lesões como a fascite plantar, dores nos calcanhares e no púbis, tendinites de Aquiles e calosidades no dedão, principalmente, pela falta de aderência, já que não conseguem manter a estabilidade e o amortecimento necessários para pisar corretamente.

foto

Sapatos planos

Ao contrário do que dizem certos falsos mitos divulgados, este tipo não é o mais adequado. Contar com dois ou três centímetros de salto é mais saudável porque permite distribuir de forma conveniente a pressão entre o calcanhar e o antepé, ou região metatarsal. O contraforte do calçado deve ser acolchoado para evitar atritos no calcanhar. O ideal, provavelmente, seria usar botas ou botinas como, por exemplo, as normalmente utilizadas para montar a cavalo, sempre que o clima permitir, já que seu design cumpre os requisitos de estabilidade, aderência, amortecimento e altura de salto necessários.

foto

Sapatos com salto

Por que as famosas torres inclinadas de Pisa, Bolonha e Arcanjo não caem apesar da inclinação? Porque a verticalidade de seus centros de gravidade não ultrapassa os limites de suas bases. Uma pessoa de pé não cai enquanto a verticalidade de seu centro de gravidade estiver compreendida dentro da superfície limitada pelas bordas exteriores das plantas de seus pés. Por isso, é tão difícil ficar sobre um pé só e, ainda mais, se equilibrar em cima, por exemplo, de um arame, já que, nestas condições, a base é muito pequena e a verticalidade do centro de gravidade pode ultrapassar seus limites facilmente. A reflexão feita por Yakov Perelman em seu livro Physics for Entertainment ajuda a entender a importância de escolher um salto apropriado.

O problema deste tipo de calçado, amado pelas mulheres, é a distribuição do peso entre o antepé e o retropé segundo a altura. Com zero centímetros de salto, o retropé suporta 57% do peso e o antepé 43%, enquanto com dois centímetros de salto, o retropé suporta 50% do peso e o antepé os outros 50%. Se formos somando centímetros, ao chegar na altura de quatro centímetros as porcentagens são de 43% e 57%, respectivamente. Na verdade, "os sapatos com entre oito e 12 centímetros deveriam ser absolutamente contraindicados pelo dano corporal que facilitam", afirmou Ángel de la Rubia, presidente da Associação Espanhola de Podologia Esportiva. No Reino Unido, "o sindicato da mulher ganhou um pleito contra empresas que obrigavam suas funcionárias a utilizarem sapatos de salto", destacou ele.

foto

Sapatos para a prática de esportes

São o tipo de calçado ideal por suas características de amortecimento e estabilidade. A indústria de sapatos esportivos experimentou uma verdadeira revolução nos últimos anos com a incorporação de novos materiais que fazem com que os esportistas sofram menos lesões. Esses avanços vêm beneficiando também os atletas amadores e, inclusive, os de fim de semana. Existe um sapato específico para cada esporte, cada tipo de pé, de peso e de terreno, mas, o que dá uma característica singular ao calçado, em geral, e o esportista, em particular, é a incorporação da palmilha personalizada, que permite a correção da pisada. É fundamental encontrar um sapato adequado para as diferentes especialidades esportivas, já que isso resulta em uma otimização do resultado na atividade e previne lesões. A instabilidade lateral é uma propriedade intrínseca dos pés para poderem se adaptar às diferentes irregularidades do terreno natural, não do elaborado pelo homem, duro e liso. Portanto, o calçado deve estabilizar lateralmente a extremidade inferior, para equilibrar as diferentes articulações e assim evitar problemas tão frequentes como as entorses de tornozelo.

foto

Sapatos casuais

Na última década, o mundo da moda foi impregnando por este tipo de sapato que está no meio do caminho entre o clássico habitual e o esportivo. Constitui, sem dúvida, uma opção adequada para uso diário, já que permite ir trabalhar bem calçado e sem o alvoroço que o uso de tênis poderia provocar em um escritório por desrespeitar uma norma de elegância não escrita, mas assumida na Espanha e em boa parte da Europa.

Evite a rinite alérgica na primavera


http://www.infohoje.com.br/wp-content/uploads/2013/09/polen-de-flores.jpg


A cada mudança de tempo, uma preocupação nova. Quem sofre com alergias respiratórias provavelmente já está acostumado com mudanças de tempo, principalmente se vem acompanhadas de mudanças de estações. Com a chegada da primavera e mudança de tempo em algumas regiões do país, sintomas como coceira e irritação no nariz, coriza e muitos espirros são comuns nesta época do ano, principalmente entre as pessoas que têm rinite alérgica. A explosão de pólen, fenômeno típico da estação, é o gatilho para o início das reações. O pólen liberado pelas flores entra em contato com a mucosa respiratória e provoca crises. Os pacientes mais sensíveis podem até manifestar asma.

Há cuidados que podem ajudar a evitar os efeitos da chegada da primavera como:

- Forre colchão e travesseiro com material impermeável para evitar contato com outros causadores de alergia, como ácaro e mofo

- Evite tapetes, carpetes, cortinas e brinquedos de pelúcia no quarto

- Diminua o uso de produtos químicos para limpeza, como amaciantes e desinfetantes

- Deixe as janelas do quarto fechadas, preferindo o uso do ar-condicionado para a ventilação e a filtragem de partículas alérgicas

- Não deixe roupas por muito tempo secando no varal

- Use óculos escuros na rua, para evitar conjuntivite alérgica

- Lave o nariz com soro fisiológico diversas vezes ao dia

- Não utilize descongestionantes nasais, pois eles potencializam os efeitos da alergia

São medidas relativamente simples mas que podem trazer a  elhora da qualidade de vida e sua saúde ficar em dia. 

Não sabe se o que você tem é rinite alérgica? As maneiras mais comuns para identificar se uma pessoa sofre de rinite alérgica são o exame de sangue e o teste de pele. No segundo método, um médico alergista faz um pequeno furo no braço do paciente e pinga uma gota de extrato de pólen para medir o nível de reação do tecido cutâneo.

Se a doença for constatada, uma boa alternativa é a vacina contra o pólen. O tratamento é feito entre um e três anos com aplicações semanais e tem efeito durante uma década.


Uso do antibiótico correto



Você já teve a impressão que um antibiótico que te ajudou não serviu para nada quando precisou de novo? E a certeza que aquele "remedinho" que o vizinho indicou não é bom porque não te curou? A impressão e a certeza passam perto da gente quando não se faz o uso correto de antibióticos. Com antibiótico não se brinca.

O uso de antibiótico é muito importante para tratamento de inúmeras doenças pois são capazes de curar ou melhorar os sintomas das várias infecções. Porém, o antibiótico só terá eficácia, garantindo o sucesso do tratamento, se for usado de maneira correta. E qual seria essa maneira correta?

Cada doença é provocada por bactéria específica (ou grupo de bactérias). Essas bactérias povoam as diferentes partes do corpo e povoam também a nossa vida. Esses micro-organismos, únicos e identificáveis, estão espalhados pela nossa casa, pelo nosso trabalho, no dia a dia e podem provocar doenças. Cada bactéria tem características próprias, inclusive a forma como deve-se combatê-las. Portanto, se cada doença causada por uma bactéria é única, não é sempre que o mesmo antibiótico servirá para melhorá-las/curá-las. Como você vai curar uma doença usando o antibiótico errado? Não adiantará nada! É como tentar encaixar uma chave na fechadura errada! Vai ter algum resultado satisfatório?

A ida ao médico é importante para saber qual o tipo de bactéria (ou grupo de bactérias) que está causando os sintomas da doença. A descoberta dessa bactéria vai ser fundamental para a indicação do melhor antibiótico, sua dosagem e intervalo de uso. Essa dosagem respeitará peso, idade e é individual. Ou seja, o sucesso de um tratamento depende, muito, do paciente seguir as recomendações do médico. A dosagem e o intervalo respeitam o tempo de ação da bactéria e do próprio antibiótico. Respeitar a receita vai diminuir o tempo da doença, trazer uma melhor qualidade de vida e não vai dar chance para a bactéria se desenvolver.

Se por um lado o uso correto de antibiótico provoca a diminuição da ação das bactérias, o uso indiscriminado dele pode causar um prejuízo enorme para a saúde e é muito perigoso.

Esse descuido facilita o surgimento bactérias com resistência a antibióticos que vai dificultar tratamento de outras pessoas. Essas bactérias resistentes são as chamadas superbactérias, que provocam muitos danos mundo afora. Usar antibiótico errado é fortalecer essas bactérias.

Entendeu por que com antibiótico não se brinca?

Respeitar a receita médica e não fazer uso de antibiótico de forma incorreta é o ponto de partida para que infecções sejam tratadas de forma mais eficiente e a sua saúde esteja em ordem, sem nenhuma bactéria para importunar.

O infectologista Edmilson Migowski e a apresentadora Astrid Fontenelle explicam melhor neste vídeo.



Publieditorial Apoio GSK

Dia do idosos: fortalecimento do corpo evita quedas e fraturas



Hidroginástica é uma forma de fortalecer o organismo e evitar quedas entre idosos, pois são a principal causa de morte acidental na terceira idade
A prevenção é sempre o melhor caminho, independente da faixa etária. Por isso, no Dia Mundial do Idoso, comemorado no dia 1º de outubro, são reforçados os alertas sobre a importância em prevenir a ocorrência de quedas em pessoas idosas, com dicas que ajudam a evitar esse tipo de acidente dentro de casa.

É bom saber que o processo de envelhecimento vivido pelo Brasil, associado às falhas na assistência e a falta de prevenção de quedas em idosos, faz com que o país enfrente hoje uma verdadeira "epidemia" das chamadas fraturas de fragilidade, associadas à osteoporose e outras doenças ósseas.

Como o envelhecimento é um processo natural enfrentado por todos os seres vivos, a forma como ele atinge cada pessoa é que diferencia a relação do indivíduo com a terceira idade. Após os 60 anos, o organismo começa a sofrer modificações fisiológicas que contribuem para a diminuição da força, amplitude de movimentos e flexibilidade e para o aparecimento de outros problemas.

Para melhorar a qualidade de vida na terceira idade, fortalecendo a musculatura, melhorando o condicionamento físico e o equilíbrio e assim evitando quedas, a hidroterapia é uma ótima aliada.

A atividade é realizada em piscina aquecida, em ambiente seguro, aconchegante e com acompanhamento personalizado do fisioterapeuta. Além da sensação de redução do peso corporal, a imersão em água morna provoca efeitos físicos que facilitam o relaxamento muscular, a redução da sensibilidade à dor e a diminuição dos espasmos musculares. Com isso, induzimos uma melhora da circulação periférica, da consciência corporal, do equilíbrio e da autoconfiança dos pacientes. Além de melhorar o condicionamento físico, fortalece a musculatura, o que ajuda a proteger os ossos.

A modalidade vem sendo utilizada como uma forma segura e confortável de manter a atividade física dos idosos, ao mesmo tempo em que trata patologias associadas ao envelhecimento, como osteoporose, artrose, fraturas, obesidade, depressão, insônia, Parkinson, entre outras, melhorando significativamente sua qualidade de vida.

O fortalecimento muscular, a liberdade de movimento, a recuperação da flexibilidade e da agilidade conquistadas com a hidroterapia resgatam a autoconfiança e a alegria de viver dos idosos, de forma rápida e segura, motivando cada um deles a vencer suas limitações físicas.

A hidroterapia pode, inclusive, retardar alguns dos processos degenerativos do envelhecimento, pois melhora a eficiência geral do organismo, fazendo com que o cérebro trabalhe mais para interpretar os novos estímulos vindos da água.

Na piscina terapêutica, um grande número de articulações é estimulado ao mesmo tempo, favorecendo sua lubrificação, com consequente aumento da mobilidade. Além disso, ainda há melhoria no padrão do sono, no funcionamento do sistema digestivo, na redução do colesterol, na perda de gordura corporal e no metabolismo.