Saiba mais sobre a Displasia do Quadril




http://www.inovarfisio.com.br/wp-content/uploads/2013/10/displasia.jpg

A displasia do desenvolvimento do quadril (DDQ) representa um espectro de anormalidades no desenvolvimento dessa articulação que variam conforme a idade do paciente e vão desde defeitos autolimitados, sem consequência em longo prazo, até a luxação, que pode levar a deficiência permanente.1 Nos casos em que ocorre a luxação do quadril, o acetábulo apresenta deficiência no seu aspecto anterossuperior e mostra‐se espesso, raso e oblíquo.2 A etiologia é multifatorial com causas genéticas, hormonais e ambientais, mas acredita‐se que a causa primária seja a restrição dos movimentos do feto ou a hiperelasticidade da cápsula articular do quadril.
A incidência de DDQ com luxação é de cerca de um por mil nascidos vivos, mais prevalente em crianças com apresentação pélvica, do gênero feminino e com história familiar positiva de 12% a 33%.

A cabeça do osso fêmur, que deveria estar encaixadinha no osso do quadril, às vezes pode estar um pouco fora do lugar e, nos casos mais graves, estar mesmo fora do osso do quadril . Isto tem o nome de Luxação Congênita do Quadril.

O ideal é que o médico descubra isto o mais rápido possível, logo depois do nascimento. Por isso, na maternidade, todos os recém-nascidos são avaliados pelo médico pediatra que, ao notar qualquer coisa errada, encaminha o bebê para o médico ortopedista.

O tratamento muitas vezes é apenas a colocação de fralda dupla, mas pode ser necessário o uso de imobilizações mais rígidas ou até mesmo uma cirurgia corretiva nos casos mais graves.


Comente:

Nenhum comentário