Como é causada a Meningite




Meningite bacteriana (Foto: Royalty Stock Photo/Science Photo Library/Arquivo AFP)

As bactérias estão cada vez mais resistentes aos antibióticos e, assim, fica difícil controlar doenças graves, como a meningite. Ela também pode ser provocada por vírus, fungos e até parasitas como um caracol africano. As meninges são as membranas que envolvem todo o sistema nervoso central. A meningite ocorre quando há alguma inflamação desse revestimento, causado por micro-organismos, alergias a medicamentos, câncer e outros agentes.

É  importante ficar atento a eventuais surtos e sempre manter a caderneta de vacinação em dia. Existe um bom controle epidemiológico da doença no país, e o que ocorrem são surtos pontuais, como está ocorrendo em São Paulo. Porém, é preciso ficar atento, porque a meningite tem uma alta taxa de mortalidade e sequelas, como surdez, perda dos movimentos e danos ao sistema nervoso. As crianças são a faixa etária mais atingida, e os pacientes devem ter um acompanhamento por pelo menos 6 meses depois da doença.

A meningite é transmitida quando pequenas gotas de saliva da pessoa infectada entram em contato com as mucosas do nariz ou da boca de um indivíduo saudável. Pode ser por meio de tosse, espirro ou pelo contato com barras de apoio dos ônibus, por exemplo. Por isso, ambientes com muita gente e pouca circulação de ar são ideais para o contágio, e a doença costuma se espalhar muito no inverno.

Os principais sintomas da meningite são dor de cabeça, febre e confusão mental. Nem sempre há rigidez na nuca, e o teste não pode ser feito por um leigo apenas ao baixar a cabeça – só um médico pode avaliar o quadro corretamente. O diagnóstico "padrão ouro" ocorre pelo exame do líquor, líquido que banha o sistema nervoso. A cor do líquor já indica se a meningite é por bactéria ou vírus.

As vacinas de meningite disponíveis na rede pública são: pneumocócica 10 valente, meningocócica C conjugada, e pentavalente. Já na rede privada, para crianças, são oferecidas a pneumocócica 13 valente, a meningocócica A, C, W, Y, e a pentavalente.

Outras dicas de prevenção da doença são: nunca pegue um caracol africano na mão, lave bem as folhas das verduras (coloque algumas gotas de hipoclorito de sódio em 1 litro de água, e use também água corrente) e mantenha as mãos sempre limpas.



Comente: