Como evitar náuseas durante a gravidez


Os temido efeitos da gravidez relacionadas com náuseas podem ser um
efeito colateral desmoralizante de um dos momentos mais felizes na
vida de uma mulher. No entanto, existem maneiras de minimizar o
aparecimento de náuseas durante a gravidez, usando algumas técnicas
simples.

1 - Evite cheiros fortes. Cheiros muito intensos, como o de um cão
molhado, ou peixe cozido, podem induzir uma enorme onda de náusea.
Evitar estes provocando cheiros em sua própria casa e ter seu parceiro
ir à frente de você e "avaliar" para estes cheiros quando você estiver
fora e aproximadamente em público.

2 - Fique longe de gás, produção de alimentos. Estes alimentos,
incluindo grãos, brócolis, couve-flor, repolho, pepinos, alface,
pimentas, chucrute, cebolas, espinafres e outros, podem causar uma
produção excessiva de gás do colo que leva a dor de estômago e
náuseas. No entanto, lembrar, comer uma dieta equilibrada saudável e
nutritiva para manter a saúde de sua gravidez.

3 - Evite alimentos fritos, picantes e "pesados". Estes alimentos são,
por vezes, difícil de digerir e tendem a permanecer no trato GI por um
longo período de tempo. Eles podem causar uma sensação de inchaço e
levar a náusea.

4 - Coma um lanche na parte da manhã. Um lanche simple, comido ainda
na cama, é dito para reduzir os episódios de náuseas. Uma porção de
pão de trigo biscoitos ou todo saltine pode servir como um lanche da
manhã fácil para a mulher grávida.

5 - Tome vitamina B6 como dirigido. Alguns médicos recomendam que
mulheres vítimas de náuseas, aumentar a sua ingestão diária de
vitamina B6. Isso geralmente é feito sob a forma de um suplemento de
vitamina de 10 a 50 mg duas a três vezes por dia. Certifique-se de
consultar o seu prestador de cuidados de saúde pessoal para ver se
isso pode ajudar você.

6 - Evite estresse emocional. Os altos e baixos emocionais de
argumentar ou lutar com os outros podem levar a episódios de aumento
de náusea e vômito durante a gravidez. Ansiedade sobre o próximo
nascimento também pode desempenhar um papel. Ficar calma e evita
desnecessária virada emocional pode ajudá-lo a evitar náuseas durante
a gravidez.

Doenças que pioram a noite


Já notou que muitas doenças e incômodos pioram à noite? As mulheres tendem a ter suores noturnos intensos na menopausa, crises de tosse são frequentes no momento de descanso de quem tem asma e o refluxo gástrico marca presença neste horário. Confira abaixo as explicações para a intensificação noturna dos sintomas de nove problemas, listadas pelo jornal Daily Mail:  

Asma
Tosse à noite é comum em pessoas com asma, sendo que 61% dos pacientes reclamam por não dormir bem. "As pessoas com asma tendem a experimentar agravamento dos sintomas durante a noite, incluindo falta de ar e chiado no peito", disse a enfermeira especialista em asma Deborah Waddell, da Asthma UK, entidade filantrópica de combate à doença.

"Existem teorias de que poderia estar relacionado com o ritmo circadiano do corpo (ciclo de 24 horas). Níveis de hormônios, como o do hormônio do estresse (cortisol), mudam durante a noite, o que afeta as vias aéreas. Depois da meia-noite, taxas de respiração estão mais lentas, resultando em uma transferência menos eficaz de oxigênio na corrente sanguínea e do dióxido de carbono para fora do corpo através dos pulmões", afirmou Deborah.

Outro motivo é que o quarto normalmente está cheio de gatilhos comuns da asma, como ácaros na roupa de cama, colchões, brinquedos de pelúcia, tapetes e cortinas. Normalmente, a ventilação é insuficiente, tornando o ambiente quente e úmido, o que favorece a proliferação de esporos e fungos.

 A postura horizontal também pode contribuir. "A tosse quando deitado pode ser devido à pressão sobre o diafragma (músculo que separa o tórax e abdômen), especialmente se a pessoa estiver acima do peso, o que causa refluxo gástrico ou gotejamento pós-nasal", acrescentou Deborah.

Artrite
A artrite causa inflamação dolorosa na cartilagem e ossos das articulações. A forma mais comum é a osteoartrite, devido ao desgaste, muitas vezes nos joelhos, quadris e mãos, o que normalmente afeta pessoas com mais de 50 anos. E os períodos de repouso prolongado, como durante o sono, podem piorar a dor.

"Nós não temos certeza do motivo, mas é provavelmente devido ao revestimento das juntas tornando-se congestionado com o excesso de líquido usado para banhar as células, e proteínas desperdiçam produto quando as articulações são imóveis por um período de tempo. Geralmente são drenados para fora a partir de articulações e excretada por mecanismos do corpo, mas esse processo fica mais lento à noite, levando à rigidez e à dor, que pode acordar as pessoas", afirmou Philip Conaghan, professor de medicina musculoesquelética na Universidade de Leeds, Inglaterra.

Resfriado
O motivo da piora dos resfriados é que "o forro de suas vias respiratórias carrega constantemente detritos e líquidos para fora dos pulmões pela garganta. Esse processo torna-se menos eficaz à noite porque você está na horizontal, causando congestionamento e tosse", segundo John Oxford, professor de virologia da Faculdade Queen Mary, da Universidade de Londres, na Inglaterra. 

Menopausa
Acordar encharcada de suor é um sintoma comum da menopausa, causada pela incapacidade do organismo para regular a temperatura corporal. E, à noite, o problema parece pior. "Quando na cama, totalmente isolada por seu edredom, você impede a perda de calor. A pessoa também está dormindo, então não sabe que a sua temperatura está subindo. Se as mulheres estão acordadas durante o dia, quando a mesma coisa acontece, elas simplesmente abrem uma janela ou tiram as roupas", contou o ginecologista e obstetra Edward Morris, do Hospital da Universidade de Norfolk e Norwich, na Inglaterra.

Dor de cabeça
O tipo mais doloroso de dor de cabeça, a cefaleia em salvas, ocorre normalmente na madrugada. Fora isso, 50% das pessoas que sofrem de enxaquecas, "primas de primeiro grau" da cefaleia em salvas, dizem que as dores na cabeça as despertam regularmente do sono.  "Isso pode estar relacionado a ciclos de sono, quando as pessoas se deslocam entre os períodos de sono profundo, sono do movimento rápido dos olhos (REM), e quase vigília", explicou Andy Dowson, diretor de serviços de dor de cabeça no Hospital King's College, na Inglaterra.

A área na base do cérebro, conhecida como tronco cerebral, está envolvida na regulação do ciclo de sono e também desempenha um papel na influência da enxaqueca. "Em ensaios, verificou-se que a fase inicial da enxaqueca tem origem no hipotálamo, que é no tronco cerebral", acrescentou Dowson.

Ataque cardíaco
Cerca de metade das mortes por ataque cardíaco ocorre dentro de uma hora do ataque, e a maioria deles ocorre nas primeiras horas da manhã, a partir das 4h. O problema ao amanhecer pode estar ligado às plaquetas no sangue, que se tornam mais rígidas e mais propensas a formar coágulos. Também é possivelmente devido ao jejum da noite e a alterações hormonais ligadas ao relógio de 24 horas do corpo. "Além disso, o efeito da medicação feita no dia anterior começa a se perder nesse momento", completou Martin Cowie, professor de cardiologia do Imperial College, na Inglaterra.

Refluxo gástrico
Refluxo do ácido do estômago para a garganta é uma causa comum de indigestão e azia. Isso acontece quando o anel muscular (esfíncter) na extremidade inferior do esôfago relaxa muito, permitindo que o conteúdo ácido do estômago flua de volta para cima. Se você é suscetível ao problema, saiba que pode piorar durante a noite por causa da gravidade, porque a posição horizontal faz com que seja mais fácil para o conteúdo do estômago passar para a garganta. Elevar a cabeça, com mais travesseiro ou inclinação da cama, pode ajudar, informou Tim Worthington, cirurgião gastrointestinal no Hospital Royal Surrey County Hospital, na Inglaterra. Comer menos à noite e evitar cafeína, álcool e alimentos ácidos são medidas benéficas.

Insuficiência cardíaca
Quando o coração já não pode bombear o suficiente do sangue que recebe dos pulmões, o fluído acumula-se no peito, caracterizando a insuficiência cardíaca aguda, que pode ser fatal. Os pacientes são mais propensos a necessitar de tratamento hospitalar de emergência cerca das 3h. "Pessoas com insuficiência cardíaca têm muitas vezes o congestionamento de líquido nas pernas e tornozelos durante o dia. Se elas vão para a cama às 22h e se deitam, o líquido gradualmente se move para o peito. Três a cinco horas mais tarde, a pressão nos vasos sanguíneos pode forçar o fluído através do tecido do pulmão e nas vias aéreas", disse Martin Cowie, professor de cardiologia do Imperial College, na Inglaterra.

Bronquite
Doença pulmonar obstrutiva crônica descreve um conjunto de condições que causam danos nos pulmões, incluindo bronquite crônica e enfisema, causando inflamação nos pulmões, muitas vezes junto com danos permanentes às vias aéreas.

Em um estudo recente, 76% dos pacientes relataram despertar noturno frequente devido a problemas nos sintomas. Pesquisadores constataram que menos ar passa pelos pulmões durante o sono profundo. O corpo também responde de forma menos eficiente ao aumento dos níveis de dióxido de carbono no sangue durante o sono, porque as taxas de respiração não se elevam na mesma forma que durante o dia para expeli-lo.  Dióxido de carbono em excesso, eventualmente, faz acordar para tentar recuperar o fôlego. 

Correr de salto alto pode afetar joelhos e causar joanete


Salto alto pode causar lesões nos quadris e joelhos Foto: Getty Images 

"Se usar saltos, caminhe feito uma dama". A recomendação vem de um estudo da Universidade Ningbo, na China, que mostra que mesmo pequenas atividades mais aceleradas não combinam com acessórios nas alturas. As informações são do site do jornal inglês Daily Mail.

Correr para alcançar um ônibus, por exemplo, pode afetar os joelhos. Nove entre dez mulheres que geralmente usam saltos reclamam de dores nos joelhos, sensação de cansaço e joanetes.

Para chegar ao resultado, os cientistas avaliaram mulheres entre 21 e 25 anos e mediram os quadris e os movimentos feitos por elas quando caminhavam com diferentes tipos de sapatos. Foram usadas peças rasteiras e com saltos baixos de até 1,5 cm, médios de até 4,5 cm e os altos, com saltos de até 7 cm.

Correr usando sapatos mais altos causa uma série de distensões nos quadris  e joelhos, além dos movimentos oferecerem mais riscos de lesões. Pesquisadores também ligaram o uso constante dos sapatos de saltos com maiores riscos de aparecimento de artrite nos joelhos devido ao desgaste da região, já que os solados exigem colocação de mais força para manter a sustentação.

Saiba 5 motivos pelos quais a maior parte das dietas falha




A maioria das pessoas associa a palavra "dieta" à privação. Uma pesquisa divulgada nesta semana, encomendada por uma companhia alimentícia do Reino Unido mostrou que duas a cada cinco pessoas que fazem dieta regularmente desistem logo nos primeiro sete dias. Além disso, apenas 20% destas conseguem seguir firme até o terceiro mês. As informações são do site Health.com.

Muitas pessoas também aliam as dietas à malhação na busca pela perda de peso, mas não conseguem manter a rotina a longo prazo. A solução, de acordo com a especialista em dieta e nutrição Cynthia Sass, é identificar as armadilhas e implementar estratégias para perder peso de forma sustentável. Veja 5 dicas importantes neste sentido.

1. Rebelião do corpo
Dietas drásticas ou muito restritas podem provocar mudanças de humor, dores de cabeça, fadiga física e mental, irritabilidade, problemas digestivos e confusão mental. Ninguém quer se sentir dessa forma, e o fato é que mudando a dieta para melhor você deveria se sentir, ao contrário: energizado, feliz e lúcido.

Solução: revisite sua história e tente não repetir antigos erros. Você conhece seu corpo melhor do que ninguém, ou seja, sabe exatamente o que não funciona. Na maior parte dos casos, dietas baseadas em pouquíssimas calorias ou em baixo carboidrato são as maiores culpadas.

Adicionar pequenos lanches entre as refeições, comer porções menores e incluir frutas ao cardápio são apenas algumas das práticas corretas a serem feitas. Embora pareça estranho, é necessário comer mais quando se quer perder peso. Isso porque restringir muito o número de calorias ingeridas pode comprometer o seu metabolismo. Para não errar, tente o equilíbrio: não coma muito, nem muito pouco.

2. Com fome
Sentir fome cinco minutos depois que você comeu, ou mesmo uma hora depois, não é necessário para manter suas curvas. Na verdade, a fome crônica indica que sua dieta não está balanceada, o que pode fazer com que o corpo conserve mais energia e dificulte a perda de peso.

Solução: inclua em sua alimentação itens que aumentam a sensação de saciedade, ricos em proteína magras (ovos orgânicos, peixe, aves, feijão e lentilha); fibras (frutas, vegetais, grãos integrais, feijão e lentilha) e gordura boa (abacate, nozes, sementes, azeite extra virgem e óleo de coco).

Outra boa estratégia é apostar em alimentos que possam ser ingeridos em volume maior sem trazer muitas calorias, como frutas e vegetais frescos e ricos em água; além de alimentos ricos em amido, como pipoca orgânica.

3. Com desejo
O controle de peso a longo prazo é um compromisso de vida. O fato de não encontrar uma maneira de cometer pequenos 'pecados' é a principal razão para as pessoas ficarem engordando e emagrecendo, no eterno efeito sanfona. Isso porque tentar ser perfeito o tempo todo leva aos sentimentos de privação, ressentimento e até mesmo raiva e depressão.

Solução: tire da cabeça a mentalidade "tudo ou nada". Se você está preocupado com os exageros, permita algumas "escapadas" alimentares para reduzir o risco de comer demais. Por exemplo: uma vez por semana, você pode comer uma sobremesa ou um cookie. Além disso, inclua na dieta alimentos ricos em nutrientes e que também são muito gostosos, como o abacate ou o chocolate amargo.

4. Pressão social
Comentários como "você não precisa perder peso" ou "você parece muito magra" são ouvidos com frequência por quem está tentando levar uma alimentação mais saudável. Sendo assim, algumas pessoas acabam se sentindo culpadas. Um estudo mostrou que amigos que comem juntos consomem mais comida porque sentem uma espécie de "permissão" para comer em excesso.

Solução: tente quebrar o padrão de se alimentar por diversão. Ao invés de jantares e happy hours, tente marcar com os amigos um cinema, ou sair para dançar. Para os que não te apoiam, explique que a mudança alimentar é importante para você e peça ajuda.

5. Emoções
Desde crianças somos programados para nos alimentar com emoção. Celebramos datas com refeições, usamos comida como uma forma de afeto. Um dia terrível no trabalho ou uma promoção rapidamente são convertidos em comida.

Solução: fortes emoções tendem a abafar os pensamentos racionais, e distanciar-nos das consequências. Quando estiver realmente triste, com raiva, ou com medo, é fácil tomar sorvete e notar que vai se sentir melhor agora, mas tente também se lembrar de como vai se sentir amanhã. Não é fácil, mas se você tentar não comer com a emoção pelo menos 50% do tempo, já vai ver uma grande diferença no seu peso.

Beber água antes da refeição pode ajudar a perder peso, revela estudo



Uma pesquisa feita por cientistas dos Estados Unidos afirma que beber água antes das refeições ajuda as pessoas a perderem peso.

Cientistas do Estado americano da Virgínia afirmam que pessoas que estão em dieta podem perder cerca de 2kg a mais se elas beberem pelo menos dois ou três copos por dia antes das refeições.

A pesquisa foi apresentada em um congresso nacional da Sociedade Americana de Química, em Boston.

Todos os adultos que participaram da pesquisa tinham entre 55 e 75 anos de idade. A teoria dos cientistas foi testada em 48 adultos, divididos em dois grupos, ao longo de 12 semanas.

Ambos os grupos seguiram dietas de baixa caloria, mas um deles bebeu água antes das refeições.

Ao longo de 12 semanas, as pessoas que beberam água perderam cerca de 7kg, enquanto os demais perderam em média 5kg.

Um estudo anterior já havia mostrado que pessoas que bebem até dois copos de água antes de cada refeição ingerem de 75 a 90 calorias a menos.

Calorias

Uma das autoras da pesquisa, Brenda Davy, da universidade Virginia Tech, acredita que o fato de se encher o estômago com um líquido sem calorias antes das refeições faz com que menos calorias sejam consumidas.

"As pessoas deveriam beber mais água e menos bebidas adocicadas e com muita caloria. É uma forma simples de se facilitar o controle do peso", afirma Davy.

Segundo a cientista, bebidas dietéticas e com adoçantes artificiais também podem ajudar as pessoas a reduzir o consumo de calorias, ajudando a perder peso.

No entanto, ela disse que bebidas com muito açúcar precisam ser evitadas. Uma lata de refrigerante comum contém, em média, 10 colheres de chá de açúcar.

A pesquisa foi financiada pela entidade Institute for Public Health and Water Research, que realiza estudos sobre água e saúde pública.

Fonte: BBC Brasil

Acupuntura para Enxaqueca


Uma noite mal dormida, um choque nervoso, estresse ou depressão, podem ser suficientes para que certos indivíduos, que hoje constituem boa parte da população, possam sentir uma terrível dor de cabeça – a temível enxaqueca. Segundo o presidente da Associação Médica Brasileira de Acupuntura (AMBA), Dr.Ruy Tanigawa, este mal se caracteriza por se repetir periodicamente sob a forma de dor unilateral no início e, às vezes, bilateral ou generalizada. Pode ser pulsátil, com crises que duram minutos e até vários dias. A dor pode se localizar, também, na região temporal ou em qualquer lugar da cabeça, rosto ou pescoço. Náuseas, vômitos, fotofobia, diarréia ou constipação, irritabilidade, sensação de cansaço e palpitações, são outros sintomas. Pode ocorrer a vermelhidão e inchaço dos olhos e lacrimejamento, além da congestão nasal e inchaço da mucosa dessa região.



O Dr. Ruy esclarece que alguns tipos de enxaqueca emitem sinais premonitórios. Ele disse que: "Ao sentir tais sinais, o indivíduo sabe que vai ter uma crise de enxaqueca; há rubor ou palidez facial, vertigens transitórias e anormalidades visuais. A pessoa começa a enxergar escotomas cintilantes (estrelinhas), surgem anomalias no campo visual e hemiplegia (paralisias). Estas anormalidades visuais e neurológicas se apresentam em 10% a 15% dos casos".

PERFIL DO PACIENTE

Na medicina moderna, já existe até um perfil dos pacientes de enxaqueca. São pessoas ansiosas, se esforçam para atingir seus objetivos, têm desejo de perfeição, são amantes da ordem, inflexíveis, mais tensos do que pessoas normais, ressentidos e fatigados. Querem ter sempre a aprovação de seus atos por aqueles que os rodeiam.

A medicina vem estudando esta patologia há muitos anos, e constatou que ela reduz a atividade cerebral (veja área escurecida na tomografia), mas ainda não estabeleceu uma cura definitiva. Sabe-se que existe uma predisposição familiar, mas a enxaqueca é causada por vários fatores. Muitas vezes, uma medicação é prescrita. Porém, embora com resultados favoráveis, os pacientes deixam de administrá-la, sobretudo quando deve ser usada por muito tempo. Isto acontece por causa dos efeitos colaterais dos remédios. Entre esses efeitos indesejáveis, estão os distúrbios do sistema digestivo e efeitos sobre o sistema neurológico. O indivíduo sente-se mal, fora de seu estado normal, há interferência nos reflexos, e outras manifestações que prejudicam o cotidiano do paciente.

A Acupuntura chega a melhorar em até 2/3 as condições do paciente enxaquecoso, o que pode ser considerado algo significativo, sem que o indivíduo tenha de tomar remédios. Todos os meridianos do corpo humano estão correlacionados a órgãos internos, ligados ao cérebro. Assim, por exemplo, um ponto de Acupuntura localizado nos pés, está ligado a algum órgão via sistema nervoso central e, sendo estimulado pela agulha, pode aliviar a dor de cabeça.

"Seja lá qual for o tipo de dor, é necessário estabelecer a causa, o que só pode ser feito por diagnóstico clínico e cinético funcional.", finalizou o Dr. Ruy Tanigawa.

Fonte: Amba News

Alimente-se para aliar a artrite



Bastante chata, a artrite ainda não tem cura. O incômodo para se movimentar, que começa suave e vai se agravando até tornar um martírio o esforço para pegar um livro na estante ou se levantar de uma cadeira, é causado pela inflamação das articulações. Em geral, o problema surge associado a traumas, desgastes, distúrbios autoimunes ou infecções.

O acompanhamento médico e a adesão aos cuidados, no entanto, permitem ao paciente levar uma vida normal, sem dores ou limitações físicas. O cenário ideal inclui diagnóstico precoce, prática de exercícios físicos leves ou de fisioterapia em casos menos agudos e alguns ajustes na dieta. O principal deles é o consumo de alimentos fontes de ômega-3, ácido graxo com ação anti-inflamatória. Veja como deixar suas refeições mais nutritivas e proteger seu organismo contra os sintomas doloridos da artrite reumatóide.


Salmão - Foto Getty Images

Peixes oleosos de água fria
Peixes como atum, sardinha e salmão são ótimas fontes de ácidos graxos poliinsaturados ômega-3, que impedem um processo de conversão de nutrientes no organismo responsável por originar inflamações. O alimento também funciona como um grande aliado no controle do colesterol, na regeneração dos tecidos, na prevenção de doenças cardiovasculares e até na amenização dos sintomas da TPM e da menopausa.

Recomendação de consumo: um filé de 200g duas vezes por semana

Óleo de canola - Foto Getty Images

Óleo de canola
Além do ômega-3, o óleo de canola também é fonte dos ácidos graxos ômega-6, sendo benéfico na prevenção de doenças do coração e na a manutenção da pressão. Também está presente em sua composição a vitamina E, antioxidante que combate radicais livres, prevenindo contra o envelhecimento precoce e o aparecimento de doenças degenerativas, como câncer.

Recomendação de consumo: de uma a duas colheres por dia

Soja - Foto Getty Images

Óleo de Soja
O óleo de soja, assim como os demais óleos vegetais, é um alimento rico em gorduras poliinsaturadas, como ômega-3 e ômega-6, e uma importante fonte da vitamina E. Ele atua na prevenção de doenças cardiovasculares, no bom funcionamento do sistema nervoso imune e no combate a radicais livres. Esse tipo de óleo também possui ação anti-inflamatória e ajuda a regular os níveis de colesterol no organismo.

Recomendação de consumo: de uma a duas colheres por dia

Azeite de oliva - Foto Getty Images

Azeite de oliva
Toque final na preparação de saladas ou até de uma deliciosa pizza, o azeite de oliva é um alimento importantíssimo para a saúde, graças aos ácidos graxos ômega-3, aos polifenois, a vitamina E e ao beta-caroteno nele presentes. O óleo tem função anti-inflamatória e antioxidante, pois preserva as células, evitando a deterioração delas.

Recomendação de consumo: de uma a duas colheres por dia

Rúcula - Foto Getty Images

Rúcula
"As folhas verde-escuro da rúcula são fonte riquíssima de ômega-3 e das vitaminas A e C, potentes antioxidantes que combatem radicais livres", pontua a nutricionista Roseli. Já outros nutrientes, como potássio e ferro, são importantes para regular o equilíbrio hídrico no organismo e para a formação de células sanguíneas (hemoglobina).

Recomendação de consumo: um prato de sobremesa por dia

Espinafre - Foto Getty Images

Espinafre
O espinafre é um alimento altamente nutritivo, oferecendo em sua composição as vitaminas A, C e E, além de nutrientes como ômega-3, cálcio, ferro, potássio, bioflavonoides e carotenoides. Suas propriedades antioxidantes previnem alguns tipos de câncer, em especial o de pulmão e o de próstata. Outros dois elementos bastante importantes são o ácido fólico, que combate a anemia, e a luteína, que fortalece o sistema imunológico, evitando problemas como a degeneração macular.

Recomendação de consumo: de duas a três colheres de sopa por dia

Óleo de linhaça - Foto Getty Images

Linhaça
Rica em ácidos graxos essenciais, vitamina E e fibras, a linhaça é um alimento que proporciona maior fluidez sanguínea, reduz o colesterol ruim, evita a formação de placas de gorduras das artérias e promove efeitos anti-inflamatórios no organismo. A semente também melhora o funcionamento do sistema digestivo e ameniza os sintomas da TPM e da menopausa.

Recomendação de consumo: de uma a três colheres de sopa por dia

Chia - Foto Getty Images

Chia
Semente da vez, originária do sul do México, a chia é uma ótima fonte de ômega-3, ferro, magnésio e cálcio. Seja em óleo, farinha ou grão, o alimento promove a sensação de saciedade, previne contra doenças cardiovasculares, ajuda na manutenção da massa muscular, reforça o sistema imunológico e ainda tem efeito antiinflamatório no organismo.

Recomendação de consumo: de duas a três colheres de sopa por dia


Dormir é fundamental para combater a obesidade


dormir-fundamental-combater-obesidade

Dieta balanceada e exercícios físicos são importantes para combater a obesidade, mas cientistas e pesquisadores também afirmam: dormir é parte fundamental do processo e não deve ser ignorado de forma alguma.

Diversos estudos foram feitos nos últimos anos e eles comprovam que quando a pessoa acaba tendo noites pouco dormidas, tem maior probabilidade de engordar. E isso pode acontecer tanto com adultos como com as crianças.

Cientistas responsáveis por estudos mais recentes chegam a fazer algumas comparações interessantes. Muitas campanhas contra a obesidade alertam que as pessoas estão comendo mais alimentos industrializados e se alimentando poucas vezes no dia. Mas eles também alertam que nos últimos anos as pessoas também estão dormindo menos, e que esta é uma relação que não poderia ser ignorada.

Um destes estudos conseguiu mapear algumas áreas do cérebro de pessoas que dormem pouco. E uma das mais afetadas acaba sendo a área responsável pela tomada de decisões mais complexas. E são estas áreas que podem fazer com que a pessoa opte por comer um alimento mais calórico, mesmo que ela saiba dos efeitos negativos.

Noites mal dormidas também afetam os níveis dos hormônios da fome, provocando uma queda nos níveis de leptina, que regula o consumo de alimentos e sinaliza quando já comemos o bastante, e o aumento do nível de grelina, que estimula o apetite e produção de gordura.

Portanto, se você está querendo emagrecer, a dieta e os exercícios são fundamentais, mas não esqueça: 8 horas de sono todas as noites vai fazer uma grande diferença.

Como tratar dor nos olhos


http://www.pilbra.com.br/wp-content/uploads/2012/02/saude-dos-olhos.jpg

A primeira vez que senti uma dor atrás dos olhos veio junto com uma dor de cabeça. Procurei meu oftalmologista e ele me disse que essa dor não é algo comum e ele pode estar associado a diversos fatores. A enxaqueca ocular é um tipo de dor de cabeça que provoca dor intensa e uma sensação latejante ou pulsante na região do fundo dos olhos. Os vasos sanguíneos dilatados atrás dos olhos começam a latejar e martelar, o que causam dor, pois colocam tensão sobre os nervos que envolvem os vasos sanguíneos.  Essa dor pode ser aliviada com regulamentação da alimentação. Aqui estão as principais causas de uma enxaqueca ocular:

1. Uma das principais causas é o estresse. O estresse é uma das principais causas da enxaqueca ocular, de modo a aprender novas e diferentes maneiras de relaxar pode ser uma boa ideia.

2. O período menstrual também influenciam. Menstruação, ou durante a menstruação ou mesmo antes, também podem desencadear uma enxaqueca ocular. Neste período algumas mulheres também ficam estressadas, assim pode intensificar a enxaqueca.

3. Quando estamos com fome também pode acontecer de ficamos com dor. Certifique-se de que você comer refeições regulares podem ajudar a afastar uma enxaqueca ocular. A fome é muitas vezes um gatilho para um episódio ocular.

4. Ao bebermos demais isso pode acontecer. Como o álcool pode aumentar a frequência de enxaqueca ocular, que poderia ser uma boa ideia você evitar de beber.

5. A ingestão de muito café também pode causar a dor atrás dos olhos. Tente evitar a cafeína, especialmente bebidas de café altamente adocicados. A cafeína no café provoca enxaquecas oculares graves.

6. Previna enxaquecas com sucos duas maçãs todos os dias. Corte as maçãs em quatro fatias cada, você deve ter um total de oito fatias de maçã. Coloque as fatias de maçã em um espremedor de sumos, juntamente com quatro talos de aipo. Beba o suco de maçã / aipo em uma base diária para ajudar a manter as enxaquecas de interromper suas atividades diárias.

Boa sorte e cuidado no tratamento!

Desvende 5 mitos e verdades sobre o cálcio



O cálcio é um nutriente fundamental para manter os ossos fortes por toda a vida. Além disso, ele também tem papel de destaque em outras funções vitais como as batidas do coração. No entanto, o brasileiro ingere em média apenas 450 mg de cálcio diariamente, o que é menos da metade da recomendação de consumo, que é de 1.000 mg. Alguns fatores motivam o baixo consumo do mineral, como a preferência por fast food – em geral, alimentos pobres do ponto de vista nutricional – e a dificuldade para incorporar o leite e seus derivados na dieta. Mas, o fato é: ainda existem muitas dúvidas em torno do cálcio. A seguir, o médico nutrólogo Daniel Magnoni esclarece alguns mitos e verdades sobre esse nutriente que está entre os principais para a manutenção da saúde e do bem-estar.

1. As melhores fontes de cálcio são o leite e seus derivados.

Verdade – Dr. Daniel Magnoni: O cálcio contido no leite e em seus derivados, como queijos e iogurtes, é mais bem absorvido pelo organismo do que o cálcio vindo de outras fontes. No entanto, uma dieta rica e variada é sempre recomendável para manter a boa saúde. Podemos então citar outros alimentos ricos em cálcio e que são bastante saudáveis: sardinha, laranja, semente de gergelim, salsa, rúcula, linhaça, manjericão, grão de bico, soja, brócolis e amêndoas.

 

2. Não se deve ingerir ferro e cálcio juntos.

Verdade – É comum que um nutriente interfira na absorção de outro, tanto para potencializá-la quanto para reduzir o seu aproveitamento. No caso do ferro e cálcio, é possível dizer que eles "disputam" o mesmo espaço quando se refere à questão da absorção. Mas vale lembrar que a absorção de um nutriente acontece em questão de poucas horas após sua ingestão. Sendo assim, ao longo do dia, é possível colocar porções de alimentos ricos em cálcio em refeições como o café da manhã e lanches e garantir um bom aporte de ferro, priorizando carnes vermelhas e verduras de folhas escuras (como espinafre e couve) no almoço e no jantar. Essa atitude com uma média de três horas de intervalo entre a ingestão de um ou de outro garante uma dieta equilibrada, com cardápio bem variado.

 

 

3. Somente as pessoas mais velhas precisam se preocupar em consumir cálcio para evitar problemas nos ossos.

Mito – Dr. Daniel Magnoni: O cálcio é um nutriente vital e desempenha diversos papéis no organismo como atuar nas contrações musculares (incluindo os batimentos cardíacos), na transmissão de impulsos nervosos e constituir os ossos. Por isso, todos precisam ingerir cálcio durante toda a vida. Para se ter uma ideia, quase todos os ossos do esqueleto (90%) são formados até os 20 anos de idade e, quando o indivíduo se torna adulto, a formação de massa óssea se estabiliza. A partir dos 35 anos, a atividade osteoclástica (que tira o cálcio dos ossos para torna-lo disponível para outras funções do organismo) fica mais intensa, levando a um declínio de até 8% da massa óssea a cada década. É preciso então manter a ingestão de cálcio em dia para prevenir eventuais problemas ósseos na maturidade, principalmente no caso das mulheres, que ainda sofrem os impactos da menopausa que dificulta a absorção do nutriente pelo organismo. Para elas, o uso de um suplemento alimentar de cálcio passa a ser indicado para garantir a ingestão mínima desse mineral na pós-menopausa.

 

4. Incorporar alimentos ricos em cálcio nas refeições ao longo do dia é uma boa forma de atingir o consumo ideal desse nutriente.

Verdade – Uma coisa a que as pessoas precisam estar sempre atentas é manter uma dieta equilibrada. E isso quer dizer buscar alimentos saudáveis e variados, distribuindo-os em várias refeições ao longo do dia. No caso do cálcio, é muito importante que porções de leite e derivados sejam consumidas em diversos momentos. As refeições em que é mais fácil encaixá-las de forma a não conflitarem com alimentos ricos em ferro (carnes vermelhas principalmente) é no café da manhã, nos lanches e na ceia, quando caem muito bem fatias de queijo magro, iogurtes e o próprio leite in natura.

 

5. Os suplementos de cálcio são todos iguais.

Mito – Hoje, existem no mercado diversos tipos de suplementos de cálcio. Nós temos desde as apresentações clássicas e no mercado há muitos anos, como as formulações líquidas e com sabor neutro até comprimidos grandes e de difícil dissolução. Atualmente existem diversas outras apresentações, como as em formato de tablete mastigável com sabor de chocolate. Especificamente esse suplemento traz uma tecnologia de fabricação que permite que o cálcio contido nos tabletes seja absorvido quase que totalmente pelo organismo, independente do momento do dia em que ele seja consumido e da acidez estomacal (que é um fator limitante para o aproveitamento do nutriente quando está muito baixa).