Como cuidar da dor no estômago




http://4.bp.blogspot.com/_srOINg4bhbA/TAsaokEEO9I/AAAAAAAAAoA/1xhrhten4FM/s1600/dor_de+ESTOMAGO.jpg

As dores de estômago são multicausais, porém a maior partes delas são  provocadas por problemas digestivs.

O tratamento imediato para as dores de estômago consiste em repouso e na ingestão frequente de pequenas quantidades de líquidos durante 24 horas. Nas 24 horas seguintes, coma alimentos de digestão fácil (por exemplo, frango assado, peixe cozido ou ovos mexidos) em pequenas porções.

Os comprimidos contra a acidez, de venda livre nas farmácias, podem aliviar um pouco as dores de estômago.

Os sintomas mais comuns e que podem ser causados por várias doenças como gastrite, úlcera e até câncer: perda de peso, emagrecimento, se a pessoa tem dificuldade de deglutir, sente a passagem do alimento na deglutição com dificuldade, se tem vômitos, principalmente vômitos com sangue, ou raias do sangue, se apresenta fezes escurecidas, se esses sintomas acordam a pessoa no meio da noite, se a pessoa tem uma historia familiar importante para doenças do estômago.

Gastrite x Úlcera

O estômago libera um ácido que dissolve o alimento para facilitar a absorção dos nutrientes. Em excesso, ele acarreta desconforto ou dor. Ela pode ser passageira, se decorrente de fatores isolados como certos alimentos, medicamentos ou jejum prolongado, ou contínua, quando o ácido agride e inflama a parede do órgão (provocando a gastrite) ou produz feridas ali (causando a úlcera).

Diga não ao Jejum

Sente-se dor na boca do estômago, tipo queimação, e sensação de vazio no estômago, que piora quando você fica mais de cinco horas sem comer e melhora após se alimentar, aparecem tanto na gastrite quanto na úlcera. Pode haver também alterações no hálito, dor de cabeça, náuseas e enjoos, em geral mais intensos após a refeição.

Embora muitas pesoas achem que ficar em jejum traz beneficios, não é verdade. Quando você fica muito tempo sem comer, o estômago libera pequenas doses de ácido que dão a sensação de fome. Em contato com as paredes inflamadas ou feridas, ele provoca mais irritação e dor. É como jogar ácido na pele machucada. Portanto, comer porções menores, várias vezes ao dia, evita agressões à parede do estômago. O importante é não ficar mais de quatro horas sem se alimentar. A noite é o período em que passamos mais tempo de estômago vazio, por isso, capriche no café da manhã.

Os vilões

Um dos grandes vilões da dor no estômago, além do jejum prolongado, é o stress. O stress gera um reflexo que estimula a liberação de ácido no estômago, assim pode causar ou piorar os sintomas.  A Helicobacter pylori destrói a camada de proteção da mucosa do estômago, deixando-a mais suscetível à ação do ácido. Quase metade da população carrega essa bactéria e nem todos desenvolvem gastrite e úlcera. Mas quando isso acontece, a presença da Helicobacter dificulta o controle, então é preciso eliminá-la com antibióticos específicos, administrados durante uma semana.

Evite comida apimentadas, alcool e cigarro, pois elas irritam ainda mais o estômago de quem já tem úlcera ou gastrite.
 
Evite o cafézinho da hora no escritório, tomando-o somente no desjejum ou após as refeições.

Cuidado das dores

Largar o cigarro, praticar exercícios físicos e técnicas de relaxamento (para aliviar o stress), ter horários regulares de sono (noites maldormidas estimulam a secreção de ácido) e comer alimentos leves a cada três horas.

Evite ainda mascar muito chiclete: faz o estômago liberar ácido para digerir um alimento e, se ele não vem, as paredes sofrem!


Comente:

Nenhum comentário