Quando falta de ar e fisgadas no coração são apenas gases





O constrangimento é grande. Pega mal até falar no assunto (provavelmente, você ficou com vergonha, inclusive, de clicar no link que anunciava este texto). Mas a formação de gases está longe de ser algo fora do normal, ao contrário: a fermentação dos alimentos é parte do processo de digestão, sendo necessária para que ocorra o aproveitamento de uma série de nutrientes pelo organismo, como vitaminas, sais minerais e proteínas lácteas. Isso só é motivo de preocupação quando compromete a vida social, causa cólicas muito fortes ou põe em risco a dieta, devido à dilatação do estômago , afirma o nutrólogo Laércio Gomes Gonçalves, vice-presidente da Sociedade Brasileira de Medicina Estética. Na entrevista abaixo, o especialista tira suas dúvidas sobre o assunto, identifica os alimentos que favorecem a formação de gases e revela sintomas que, aparentemente, nada teriam a ver com o problema (como falta de ar e fisgadas no coração.

Por que os gases se formam?
Os gases se formam pela fermentação dos alimentos ingeridos. O processo acontece devido à ação das bactérias existentes em todo o trato digestivo, desde a boca até o último segmento do intestino grosso.

Isso é um problema na digestão? Ou se trata de uma reação natural do organismo?
A formação de gases não pode ser considerada um problema de digestão, uma vez que fermentação dos alimentos faz parte do mecanismo de retirada e aproveitamento de vitaminas, sais minerais e até mesmo das proteínas da carne, do leite e dos queijos, que precisam ser fermentadas para serem utilizadas. 

Como saber quando os gases estão trazendo prejuízo à saúde, além de desconforto?
Percebe-se o prejuízo do excesso de gases pelas manifestações físicas de desconforto: cólicas no abdômen, falta de ar com encurtamento da capacidade de respiração na fase de inspiração, fala entrecortada pela falta de ar, refluxo em pessoas portadoras de hérnia de hiato e eructações (arrotos) com odor dos alimentos em decomposição, por exemplo.

Que tipo de alimento favorece a formação de gases?
Alguns alimentos crus destacam-se pela formação de gases. É o caso das verduras de folhas largas, como a couve e o repolho. Alguns legumes ricos em carboidratos complexos, como as batatas e a mandioca também são mais sujeitos à fermentação, assim como os derivados lácteos, principalmente em situações de intolerância à lactose.

Mascar chicletes provoca gases? E tomar refrigerantes?
Mascar chicletes e refrigerantes faz com que aumente a ingestão de gases. Mas a grande maioria tem suas bolhas de gás rompidas em contato com a mucosa ácida da parede do estômago, aumentando a eructação (arrotos), e não provocando distúrbios intestinais. 

Eles dilatam o estômago, prejudicando a dieta de alguma maneira?
Sim, dependendo da quantidade de chiclete que você masca, isso aumenta a capacidade de dilatação do estômago. Mas eles não chegam a prejudicar uma dieta, a não ser que você tenha facilidade de dilatação gástrica: nessas condições, será necessário comer mais para alcançar a saciedade. Quanto aos refrigerantes, o prejuízo deve-se à quantidade de componentes químicos para conservação, uso de adoçantes ou propriamente o açúcar, e não por causa dos gases ingeridos.

Passar muito tempo sentado favorece a formação de gases?
Sim, a diminuição dos movimentos peristálticos (movimentos do trânsito dos alimentos e do bolo fecal) favorece o aumento do processo de fermentação e formação de gases. Por outro lado a diminuição da velocidade de digestão por ausência de movimentos após as refeições também contribui para a formação de gases, já no estômago.  

Por que os gases provocam pontadas no coração? Há risco de que isso evolua para um mal cardíaco?
Porque a maioria dos gases fica estacionada no cólon transverso e tende a se movimentar para cima, estando você sentado ou em pé. Com isso, há compressão nos órgãos que ficam abaixo do diafragma (fígado, vesícula, pâncreas e baço). O movimento das bolhas gasosas causa essa compressão e, portanto, podem surgir cólicas. Não existe risco cardíaco nenhum numa situação destas, muito embora uma boa parte da população já tenha conhecimento da existência de um infarto do miocárdio de parede posterior, ou seja, justamente aquela porção que está assentada sobre o músculo diafragma. Uma cólica nesta posição pode assustar, mas o infarto geralmente vem acompanhado de uma série de outros sintomas, como vômitos e sudorese intensa.




Comente:

Nenhum comentário