Cuide bem dos seus pés




Na tradição indiana, tocar os pés de um mestre ou de um santo é considerado um ato de respeito e humildade. Para demonstrar reverência e desapego do ego, os indianos fazem rituais lavando os pés das pessoas consideradas especiais ou sábias. Já no Ocidente, os pés não recebem tanta importância. Apesar de sustentarem nosso corpo o dia inteiro, só nos lembramos dos pés quando doem.


Formado por 26 ossos, que são mantidos no lugar por ligamentos, tendões e músculos, os pés funcionam como uma engrenagem perfeita, com movimentos controlados pelos músculos da parte inferior da perna, que, por sua vez, estão presos a eles por tendões que passam por meio dos tornozelos. Os dedos são unidos de forma que o pé possa dobrar-se com facilidade e o movimento de andar torne-se ameno.


Mas ao descuidar desta parte tão importante do corpo, estamos sujeitos a dores, torções, inchaço, calosidades, odores e micoses. Por isso, é importante tratá-los com cuidados especiais. Diariamente, após o banho, devemos secar bem entre os dedos, alternar o uso dos calçados, usar sempre meias de algodão, hidratá-los sempre e evitar calçados de bico fino e de salto alto.


Quando o tempo começa a esquentar, costumam aparecer fissuras nos pés devido à temperatura alta e ao tempo seco. "Para as fissuras, o tratamento é uma hidratação profunda, que pode ser com um creme à base de parafina, pelo menos uma vez por mês, e o uso de hidratantes à base de uréia, silicone ou cera de abelha diariamente", recomenda o podólogo Adriano Giaciane, coordenador técnico da rede Doctor Feet.


Nessa época, os pés costumam transpirar mais, causando odores, e as bordas dos dedões podem descascar – principalmente as de praticantes de Yoga, que fazem as aulas descalços. "O uso de hidratantes e produtos adequados resolve o problema", esclarece o podólogo.

 


Saltos Altos
A Dra. Cibele Ressio, mestre em Ortopedia e Traumatologia e especialista em medicina e cirurgia do pé da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo), explica sobre o tema: "O uso constante de saltos altos encurta a musculatura ísquiotibial, isto é, a musculatura posterior da perna que vai até a coluna, causando dor na região lombar". A ortopedista afirma que 90% das deformidades do antepé (a ponta dos pés) são causadas por uso de calçados inadequados: apertados, menores do que os pés, ou de salto muito alto. Segundo ela, não é a altura do salto isoladamente que importa. O ideal é o pé paralelo ao solo, ou levemente inclinado, com a diferença máxima entre o salto e a plataforma do antepé de 3 cm.


A especialista sugere deixar uma polpa digital de folga entre o último dedo e a ponta do calçado, pois os dedos necessitam deste espaço para a movimentação na caminhada.

 


Pés segundo o Ayurveda
Para a medicina ayurvédica, os pés são um reflexo de como o nosso corpo – e cada biótipo (dosha) – também tem suas próprias características:


• Pés vata normalmente são mais compridos, com ossatura e dedos finos e desiguais e tortos. Os pés têm a tendência a ser frios, e a pele é mais seca. Quando estão em desarmonia, é muito comum que os vata tenham artrite ou artrose.


• Pés pitta são de tamanho e ossatura normais e os dedos são proporcionais ao tamanho dos pés; Pitta sente calor nos pés e, quando estão em desarmonia, podem ter ácido úrico.


• Pés kapha são grandes ou pequenos, dependendo do tamanho da pessoa, e são proporcionais ao tamanho dos dedos. Normalmente, os dedos são mais gordinhos e, quando estão em desarmonia, têm rachaduras que podem ser retiradas com pedra-pomes ou púmice (uma rocha vulcânica de muito baixa densidade).


O terapeuta ayurvédico Erick Schulz, diretor do Instituto de Cultura Hindu Naradeva Shala, explica que o cuidado com os pés deve ter a mesma importância com o que se tem com o resto do corpo, principalmente com a coluna vertebral (Meru Danda). "No dinacharya (rotina), é essencial, para se ter boa saúde, cuidados, como massagens com óleos apropriados nos pés. Procure sempre realizar uma massagem dando bastante ênfase na sola, no calcanhar e nos dedos dos pés, puxando- os e torcendo como se estivéssemos tirando um anel", ensina o terapeuta.


Para pessoas que andam muito, trabalham de pé o dia todo ou sentem muita dor nesta parte, Erick recomenda escalda-pés de acordo com o biótipo, três vezes por semana, utilizando ervas específicas e essências. "É muito bom sempre manter o pé nutrido e limpo. Caso a pessoa não goste de óleo vegetal, pode-se utilizar manteiga de cacau, ghi ou algum creme sem óleo mineral", indica. Para pés mais kapha, em que a pele é mais grossa, pode-se utilizar algum pó de ervas para ajudar a massagear, como vacha ou gengibre.

 


Calçados e meias


• Dê preferência a calçados de bicos mais largos, de couro macio e de salto baixo, evitando, assim, piores danos aos pés e à coluna.
• Já as meias têm de ser de algodão, pois absorvem a transpiração, evitando, assim, ressecamentos, fissuras e odores.
• Use sandálias macias, hidrate os pés de duas a três vezes ao dia, e seque bem entre os dedos após o banho.
• O uso de palmilhas é recomendado sempre que perceber o aparecimento de bolhas.
• Para escolher um calçado adequado, é importante evitar materiais sintéticos e procurar usar sapatos ventilados.
• O ideal é alternar o uso dos calçados, deixando o que foi usado durante todo o dia num local arejado ou com sol.

 


Para fazer nem casa
Escalda-pés Ayurvédico

Quando estiver muito calor, pode-se realizar um escalda-pés com água fresca e de rosas e pequenas pedras de gelo. A água não pode ficar gelada. Mantenha os pés na água de 15 a 20 minutos. Caso queira, pode-se acrescentar ervas como menta ou camomila. Em dias muito frios, o escalda-pés pode ser bem quente, com ervas como gengibre ou canela, e pode-se acrescentar um pouco de sal. Manter os pés de 15 a 20 minutos.


Escalda-pés refrescante
Coloque dois litros de água quente em uma bacia previamente desinfetada, adicione uma porção de mentol e duas colheres de álcool. Mergulhe os pés dentro da bacia, e relaxe por 15 a 20 minutos.


Hidratação e esfoliação dos pés
O primeiro passo é a esfoliação: misture açúcar e mel e esfregue na planta e no peito dos pés em movimentos circulares, por um ou dois minutos. Em seguida, passe um creme hidratante e envolva os pés em uma toalha quente ou em papel filme de cozinha, para estimular a penetração do produto na pele. Esta aplicação deve durar uns 20 minutos.

Comente:

Nenhum comentário