Alimentação ajuda a “turbinar” melhora




É possível melhorar a memória com a alimentação. A vitamina colina, que faz parte do complexo B, auxilia no funcionamento cerebral e é encontrada na leticina de soja. Duas colheres de sopa da leticina podem ser adicionada a sucos, sopas, salada ou frutas.

Submeter a mente a várias atividades ao longo do dia é prejudicial ao cérebro e causa falhas de memória. O estresse, segundo os neurologistas, é um dos maiores agentes que interferem na memória.

Isso acontece porque o cortisol, hormônio liberado em situações de estresse, interfere na produção de novas células neuronais.

Para testar a capacidade da memória são feitos testes. O médico pede para o paciente memorizar figuras, palavras ou histórias.

Depois de 30 minutos, após as informações serem memorizadas, o médico indaga ao pacientes dados sobre o que foi exibido a ele.

Até exames clínicos são realizados para confirmar se a falha de memória é ocasionada por estresse ou por algum problema clínico. Problemas na glândula tireóide, que produz hormônios que influenciam na memória, são diagnosticados por meio do exame de sangue.

Uma vez comprovado que a carência é na sua produção, o paciente é submetido a um tratamento de hormônio indicado para a glândula.



Comente:

Nenhum comentário