O perigo da apendicite






Outro dia recebi uma ligação da minha irmã dizendo que a minha sobrinha estava em um hospital, com uma dor abdominal mal localizada que provavelmente era uma crise de apendicite.

A apêndicite é a inflamação do apêndice, que é um segmento em forma de um verme, localizado na base da porção inicial do intestino grosso. Trata-se de um órgão sem função para o organismo, mas é a principal causa de dor abdominal que demande tratamento cirúrgico, apresentando-se com mais freqüência na faixa etária de 10 a 30 anos, em ambos os sexos.

Mas o que é o apêndice? O apêndice é um órgão linfático localizado no ceco, a divisão entre o intestino delgado e o grosso, como um 'rabinho' - ou acessório - que sai do ceco. Por seu formato, pode ser chamado de apêndice vermiforme, mas, na medicina, seu nome é apêndice íleo cecal. Varia de tamanho, de 3 cm a 20 cm de comprimento, e localiza-se no abdômen inferior, do lado direito. Os sintomas iniciais da apendicite, portanto, são mais comuns nessa região do corpo. Mas a dor forte no lado esquerdo da barriga, acompanhada de febre, não exclui o diagnóstico. Ao contrário, pode indicar complicações da doença.

Minha sobrinha fez o tratamento. O tratamento consiste numa cirurgia em que se realiza a retirada do apêndice (apendicectomia), associada em alguns casos ao uso de antibióticos no período pós-operatório.

A cirurgia pode ser feita por via convencional, em que se realiza uma incisão (corte) no abdome, ou por videolaparoscopia, sendo essa uma técnica mais vantajosa principalmente no que se refere a um período de convalescença mais curto, com menos dor no pós-operatório, e com melhor resultado estético. Foi esse segundo tipo que ela fez e a recuperação foi ótima.

E embora hajauma preocupação sobre essas crises, princpalmente por causa das dores, você sabe o que se pode fazer para evitar uma crise dessa? Teoricamente, nada.  Não existe prevenção para a apendicite. Qualquer indivíduo de qualquer idade pode apresentar o quadro. É citado na literatura que a chance de um indivíduo apresentar o quadro durante a sua vida inteira é de 7%.

Mas sem dúvida estar bem informado sobre esse tipo de problema evita que haja uma complicações dos sintomas da crise.



Comente:

Nenhum comentário