Conceito e tipos de esquizofrenia


O termo "esquizofrenia" foi criado em 1911 pelo psiquiatra suíço Eugem Bleuler com o significado de mente dividida. Ao propor esse termo, Bleuler quis ressaltar a dissociação que às vezes o paciente percebia entre si mesmo e a pessoa que ocupa seu corpo. Hoje é o nome universalmente aceito para este transtorno mental psicótico, entretanto, no meio técnico e profissional se admite que o termo pode ser insuficiente para descrever a complexidade dessa condição patológica.  


A Esquizofrenia é uma doença da personalidade total que afeta a zona central do eu e altera toda estrutura vivencial. Culturalmente o esquizofrênico representa o estereotipo do "louco", um indivíduo que produz grande estranheza social devido ao seu desprezo para com a realidade reconhecida. Agindo como alguém que rompeu as amarras da concordância cultural, o esquizofrênico menospreza a razão e perde a liberdade de escapar às suas fantasias.  

Segundo Kaplan, aproximadamente 1% da população é acometida pela doença, geralmente iniciada antes dos 25 anos e sem predileção por qualquer camada sócio-cultural. O diagnóstico se baseia exclusivamente na história psiquiátrica e no exame do estado mental. É extremamente raro o aparecimento de esquizofrenia antes dos 10 ou depois dos 50 anos de idade e parece não haver nenhuma diferença na prevalência entre homens e mulheres.  

Os transtornos esquizofrênicos se caracterizam, em geral, por distorções características do pensamento, da percepção e por inadequação dos afetos. Usualmente o paciente com esquizofrenia mantém clara sua consciência e sua capacidade inteleitual.  

A esquizofrenia traz ao paciente um prejuízo tão severo que é capaz de interferir amplamente na capacidade de atender às exigências da vida e da realidade.  

A esquizofrenia paranóide
Este tipo de esquizofrenia é o mais comum e também o que responde melhor ao tratamento. Diz-se, por causa disso, que tem prognóstico melhor. O paciente que sofre esta condição pode pensar que o mundo inteiro o persegue, que as pessoas falam mal dele, têm inveja, ridicularizam-no, pensam mal dele, elas têm intenções de fazer-lhe mal, de prejudicá-lo, de matá-lo, etc. Trata-se dos delírios de perseguição.  
Não é raro que este tipo de paciente tenha também delírios de grandeza, idéias além de suas possibilidades: "Eu sou o melhor cantor do mundo. Nada me supera. Nem Frank Sinatra é melhor". Esses pensamentos podem vir acompanhados de alucinações, aparição de pessoas mortas, diabos, deuses, alienígenas e outros elementos sobrenaturais. Algumas vezes esses pacientes chegam a ter idéias religiosas e/o políticas, proclamando-se salvadores da terra ou da raça humana.   

A esquizofrenia hebefrênica ou desorganizada
Neste grupo se incluem os pacientes que têm problemas de concentração, pouca coerência de pensamento, pobreza do raciocínio, discurso infantil. Às vezes, fazem comentários fora do contexto e se desviam totalmente do tema da conversação. Expressam uma falta de emoção ou emoções pouco apropriadas, rindo-se a gargalhadas em ocasiões solenes, rompendo a chorar por nenhuma razão em particular, etc.
Neste grupo também é freqüente a aparição de delírios (crenças falsas), por exemplo que o vento move na direção que eles querem, que se comunicam com outras pessoas por telepatia, etc.   

A esquizofrenia catatônica
É o tipo menos freqüente de esquizofrenia. Apresenta como característica transtornos psicomotores, tornando difícil ou impossível ao paciente mover-se. Talvez passe horas sentado na mesma posição. A falta da fala também é freqüente neste grupo, assim como alguma atividade física sem propósito. 

A esquizofrenia residual
Este termo é usado para se referir a uma esquizofrenia que já tem muitos anos e com muitas seqüelas. O prejuízo que existe na personalidade desses pacientes já não depende mais dos surtos agudos. Na esquizofrenia assim cronificada podem predominar sintomas como o isolamento social, o comportamento excêntrico, emoções pouco apropriadas e pensamentos ilógicos.   

A esquizofrenia simples
Também é pouco freqüente. Aparece lentamente, normalmente começa na adolescência com emoções irregulares ou pouco apropriadas, pode ser seguida de um paulatino isolamento social, perda de amigos, poucas relações reais com a família e mudança de caráter, passando de sociável a anti-social e terminando em depressão. Nesta forma da esquizofrenia não se observam muitos surtos agudos. 

Apesar desta classificação, é bom destacar que os pacientes esquizofrênicos nem sempre se encaixam perfeitamente numa de estas categorias. Também existem pacientes que não se podem classificar em nenhum de os grupos mencionados. A estes pacientes se pode dar o diagnóstico de esquizofrenia indiferenciada.

Tabagismo e o risco do infarto


O infarto do miocárdio (IM) ou infarto agudo do miocárdio, conhecido popularmente como ataque cardíaco, é uma emergência médica em que parte  do fluxo sanguíneo do coração sofre uma interrupção súbita  e  intensa,  produzindo a morte das células  do músculo cardíaco (miocárdio).

O IM é a principal causa de morte no mundo ocidental.A principal causa do IM é a aterosclerose, ou seja, a formação de um coágulo (trombo) a partir de uma placa de gordura (ateroma), localizada na parede da artéria do coração, chamada de coronária.

O estudo INTERHEART teve como objetivo principal avaliar a importância dos fatores de risco para o IM.Os autores do estudo observaram que 90% dos casos de IM poderiam ser atribuídos à presença de fatores de risco ou ausência de certos fatores protetores.

Fatores de risco modificáveis: tabagismo, anormalidades do colesterol, hipertensão arterial, diabetes, fatores psicossociais (estresse e depressão) e obesidade central (localizada acima da cintura).

Fatores protetores: realização de atividade física regular, consumo regular e moderado de bebidas alcóolicas e ingestão diária de frutas, verduras e legumes.Devemos lembrar que a ingestão de bebidas alcóolicas não deve ser estimulada como uma medida de prevenção para o IM.

Tabagismo e o risco de infarto do miocárdio:

O estudo INTERHEART demonstrou um relação linear entre o número de cigarros consumidos por dia e o risco de um IM.Fumantes de até 5 cigarros por dia apresentavam um aumento do risco relativo de IM em 1,5 vezes; fumantes de até meio maço (10 cigarros) em 2 vezes; fumantes de até 1 maço (20 cigarros) em 4 vezes e fumantes de até 2 maços (40 cigarros) em 8 vezes.

Nenhuma medida preventiva que possa ser adotada por pacientes infartados é tão efetiva quanto parar de fumar .Estima-se uma redução de 36% no risco de morte.Metade da redução deste risco é obtida com apenas dois anos após a cessação do tabagismo. Em 12  até 15 anos, este risco passa a ser semelhante ao de alguém que nunca fumou.
 
Fonte: JAMA.

Embriologia


A embriologia é a parte da Biologia que estuda o desenvolvimento dos embriões animais. Há grandes variações, visto que os animais invertebrados e vertebrados apresentam muitos diferentes aspectos e níveis evolutivos.


Em Biologia o desenvolvimento envolve diversos aspectos:

a) multiplicação de células, através de mitoses sucessivas.

b) crescimento, devido ao aumento do número de células e das modificações volumétricas em cada uma delas.

c) diferenciação ou especialização celular, com modificações no tamanho e forma das células que compõem os tecidos. Essas alterações é que tornam as células capazes de cumprir sua funções biológicas.

Através da fecundação ocorre o encontro do gameta masculino (espermatozóide) com o feminino (óvulo), o que resulta na formação do zigoto ou célula-ovo (2n).

Após essa fecundação o desenvolvimento embrionário apresenta as etapas de segmentação que vão do zigoto até o estágio de blástula. Muitas vezes há um estágio intermediário, a mórula.

Esse documentário sobre Embriologia vai fazer você ter idéia do que acontece em todos os processos. 

Depressão Infantil


É difícil imaginar que haja, no ensino primário das escolas, crianças depressivas. É ainda mais difícil imaginar uma criança em idade pré-escolar e depressiva ao mesmo tempo. Mesmo sendo cada vez mais fácil de reconhecer e tratar esse transtorno em crianças, apenas recentemente os pesquisadores iniciaram estudos sobre esse mal em crianças com idades inferiores a 6 anos.


Em uma pesquisa publicada no periódico Current Directions in Psychological Science, Joan Luby, da Universidade de Washington, EUA, apontou a importância da detecção precoce em crianças.

A pesquisadora aponta que a depressão em crianças com idade pré-escolar não tem as mesmas características encontradas em crianças mais velhas ou mesmo em adultos – talvez por isso esse transtorno seja negligenciado. Em adultos, por exemplo, a anedonia – perda da capacidade de sentir prazer – se reflete principalmente por meio da diminuição ou perda da libido. Nos pré-escolares, entretanto, isso se traduz na incapacidade de gostar de brincar.

Fora isso, os pais dessas crianças também não conseguem enxergar o avanço do transtorno, pois os sintomas não são contínuos. Essas crianças não se mostram extremamente tristes (como acontece com os adultos) e pode até mesmo ter períodos em que os sintomas não se manifestem.

Reconhecimento do transtorno

O reconhecimento desse tipo de depressão é feito por testes específicos aplicados por profissionais de saúde mental. E a partir dessas entrevistas é possível observar os sintomas clássicos de depressão, como falta de vontade de fazer as tarefas diárias, sensação de culpa e mudanças no padrão de sono.

A pesquisa também sugere que a depressão infantil precoce não é uma condição temporária, mas sim a manifestação inicial de um transtorno crônico que pode piorar com o tempo. Estudos anteriores já demonstraram que os pré-escolares depressivos também mostram os traços depressivos mais intensos durante a infância e na adolescência.

Por conta desse efeito em longo prazo, a identificação e a intervenção da depressão infantil precoce é importante. O fato dessas crianças ainda terem uma grande plasticidade cerebral – a potencialidade do cérebro de se adaptar a novas experiências e eventos, é um fator positivo. Intervenções nessa idade costumam ter grande eficiência. E apesar de poucas pesquisas sobre o tema, o uso de antidepressivos ainda é bastante questionado. Nessa idade sugere-se o acompanhamento psicoterápico.

Dor crônica aflige 30% das mulheres


Estudo, divulgado nesta quinta-feira, dia 10, mapeou a dor em São Paulo e encontrou dados alarmantes. Três em cada 10 paulistanos convivem com o problema (28% no total) e a metade recorre à automedicação para sanar o problema, que ataca mais as regiões das pernas (22% das queixas), as costas (21%) e a cabeça (15%).

Entre os homens, 20% afirmaram sentir dor. No caso das mulheres, a situação é ainda pior: 34% delas têm dores crônicas, que podem comprometer o trabalho e as relações pessoais. O índice é maior entre as donas de casa: 33,3%. Elas só perdem para os aposentados (36%) e autônomos (35,7%).

A explicação para a liderança feminina na apresentação de dor é que nelas são encontrados maiores índices de obesidade – que alavancam o problema – e também porque sofrem mais de fibromialgia, doença de diagnóstico confuso, caracterizada pela dor em várias regiões do corpo.

O estudo também diagnosticou que quanto maior a escolaridade, menor a taxa de dor. Entre analfabetos, 33,7% apresentaram o problema contra 23,5% entre os com superior completo. De acordo com os pesquisadores, o conhecimento faz com que os pacientes busquem ajuda especializada, reduzindo o índice.

Só entraram na conta os que sofrem de dor crônica, ou seja, que experimentam sensações como desconforto, choques e pontadas por mais de três meses seguidos. O mapeamento da dor foi feito por meio de questionários aplicados em 2.446 paulistanos, com mais de 18 anos. A média de dor encontrada na cidade é semelhante à diagnosticada no mundo pela Organização Mundial da Saúde (OMS), que aponta como taxa global do problema em 30%.

Anti inflamatórios


Anti-inflamatório é um fármaco ou método que combate a inflamação de tecidos; antiflogístico.

Tais medicamentos atuam por favorecer o desaparecimento dos edemas, desidratando os tecidos tumefeitos, por ativação da circulação local ou por vasoconstrição no local da aplicação ou por coagulação das albuminas tissulares.

Os anti-inflamatórios tópicos são divididos em duas categorias, conforme seu modo de ação predominante: Adstringentes e Emolientes.

moliente - emolientes são formulações semisolidas, viscosas e monofasicas, possuindo combinações de água, óleos e gorduras destinadas a ajudar a hidratar a pele e restaurar a oleosidade perdida devido ao ressecamento da pele.

Atuam na epiderme através da sua hidrofobicidade, impedindo a desidratação da pele. Da ação de manter os tecidos mais macios ou moles deriva o termo emoliente.

Quando usados corretamente, são parte essencial do controle da dermatite (alergia) e das providências de que a pele precisa para sarar. Estão disponíveis sob a forma de ungüentos, loções e substitutos do sabonete, bem como de óleos para o banho, cremes para as mãos e pés. Não costumam conter nenhum fármaco.

O emolientes podem ser utilizados para finalidades simples, como por exemplo hidratar pés ressecados, até tratamentos mais sérios como por exemplo tratamentos de psoríase.

Segundo a maquiadora Vanessa Rozã: Em Química, a adstringência define um composto que reage com proteínas tanto estruturais quanto enzimáticas, precipitando-as em derivados insolúveis (na maior parte dos solventes conhecidos e não biodegradáveis).

Em Biologia, adstringente é o produto que contrai, estreita, reduz, produz constrição, união, ligação; que contrai os tecidos e vasos sanguíneos, diminuindo a secreção das mucosas; contrai ou recobre os tecidos orgânicos, diminuindo as secreções ou formando camada protetora; contraem os tecidos, combatendo diversas moléstias inflamatórias da boca, garganta, intestinos, órgãos genitais; provoca contração das mucosas, dos vasos e dos tecidos.

Um tipo especial de adstringência é a hemostática, em produtos que são ditos hemostáticos ou estípticos, capazes de causar a coagulação do sangue de maneira imediata e conter hemorragias. Um exemplo de uma substância hemostática é o alúmen.

Pode ser encontrado em: agrião, aperta-ruão, aroeira, barbatimão, bolsa-de-pastor, buranhém, cavalinha, chicória, cipó-chumbo, óleo de eucalipto, guaraná, jaca, jatobá, jequitibá, maçã, mil-em-rama, Óleo de alho, romã, açoita-cavalo, álamo, avenca, begônia, caqui, chorão, cambuí, casca-de-anta, casca-de-cedro, cipó-escada, guabiroba, goiabeira, marmeleiro, nogueira, rosa, sempre-viva, videira (folhas), podendo, então, ser considerado um fitomedicamento.

Prevenção do resfriado



O inverno está chegando e o risco de pegar um resfriado ou mesmo uma gripe aumenta bastante. Pensando nisso, segue algumas dicas para prevenção destes tipos de doenças:

  • Evite ficar em locais fechados: mantenha sempre o ar circulando para que os vírus não se concentrem no local. 
  • Lave sempre as mãos: se possível com um antisséptico para que elimine todos os germes que possam causar o resfriado ou gripe. 
  • Beba bastante líquido: pode ser água pura, suco de frutas ou chás. Os líquidos ajudam a manter o corpo hidratado, além de ajudar a eliminar as toxinas que fazem mal ao nosso organismo. 
  • Mantenha o ar dentro de casa com uma certa umidade: o ar muito seco provoca irritação das mucosas aéreas, facilitando a penetração dos germes que provocam os resfriados e gripes. Se necessário, use um umidificador de ar nos quartos ou escritório para manter uma umidificação de ar adequada. 
  • Mantenha as narinas bem úmidas: se o ar estiver muito seco e não for possível umidificá-lo, pingue algumas gotas de soro fisiológico nas narinas para evitar que fiquem ressecadas e causem irritação da mucosa respiratória. 
  • Respire pelo nariz, não pela boca: a mucosa do nariz foi feita para aquecer e umidecer o ar que respiramos, evitando que o ar chegue frio nos pulmões. Se você respirar pela boca, o ar não recebe o tratamento adequado, causando doenças respiratórias. 
  • Use lenços da papel ao invés de lenços de pano: os lenços de pano acumulam grande quantidade de germes, espalhando no ar os vírus e reinfectando as pessoas. O melhor é usar lenço de papel e jogar fora após o uso. Sempre lave as mãos após assoar o nariz. 
  • Evite tocar o seu rosto quando resfriado: você pode espalhar os vírus para outras pessoas através de suas mãos. 
  • É melhor ficar em casa: se voce estiver gripado ou resfriado é melhor descansar; descansando e relaxando você vai ativar o seu sistema imunológico, fazendo seu resfriado sarar mais rápido. Além disso você evita passar a doença para os outros. 
  • Diminua o stress em sua vida: estudos mostram que pessoas mais estressadas adoecem mais, porque diminuem as defesas do organismo. 
  • Viva num ambiente mais saudável: poluição diminu as defesas do organismo, fazendo com que fiquemos doentes mais facilmente. 
  • Não fume: estudos mostram que as pessoas que fumam pegam mais resfriados e gripes que as que não fumam. Talvez isso esteja relacionado com o fato de que o fumo destrói a camada de proteção das vias respiratórias, principalmente os cílios, que são minúsculas estruturas que "varrem"as impurezas do ar, impedindo-as de entrar nos pulmões. 
  • Tenha uma alimentação saudável: comer bem ajuda a manter o corpo com uma boa resistência contra infecções. Alguns alimentos ajudam a dar maior resistência ao corpo, como iogurte, alho, gengibre, ginseng e geléia real. 
  • Tome vitamina C: essa vitamina ajuda o corpo a produzir o interferon, que é o responsável pela destruição dos vírus, além de ajudar a produzir os elementos de defesa do corpo. Em geral é recomendada uma dose de 60mg por dia. A melhor maneira de conseguir a vitamina C é através de frutas ácidas, como laranja, limão, morango e tomate, e verduras. Não adianta tomar grandes quantidades de vitamina C pois o corpo acaba eliminando o excesso. Estudos recentes têm mostrado que uma dose de 200mg por dia tem um efeito melhor na prevenção dos resfriados.
Veja os vários tipos de Umidificadores de ar.

Prevenção para pessoas com má circulação


O indivíduo que apresenta uma má circulação nos pés deve instituir as seguintes medidas e precauções:

• Examinar os pés diariamente, verificando a presença de rachaduras, feridas, calos e espessamentos (ceratoses).

• Lavar os pés diariamente com água morna e sabonete neutro, secando-os suave e completamente.

• Utilizar um lubrificante, como a lanolina, para a pele seca.

• Utilizar um talco comum, não medicinal, para manter os pés secos.

• Cortar as unhas retas e não demasiadamente. (Se necessário, solicitar os serviços de um podólogo.)

• Ir a um podólogo para tratar calos ou calosidades.

• Não utilizar agentes químicos aderentes ou irritantes.

• Trocar de meias diariamente e de sapatos com freqüência.

• Não utilizar ligas ou meias apertadas, com a parte superior elástica.

• Utilizar meias de lã folgadas para manter os pés aquecidos.

• Não utilizar bolsas de água quente ou almofadas elétricas.

• Calçar sapatos confortáveis, com bicos largos.

• No caso de deformidade do pé, solicitar ao podólogo uma prescrição de calçados especiais.

• Não utilizar sandálias nem andar descalço.

Exercício reduz até 60% os sintomas de asma


Realizar atividades físicas reduz em até 60% os sintomas de asma, como tosse, chiado, falta de ar e aperto no peito.

Estudos realizados pelo Serviço de Fisioterapia do Hospital das Clínicas, da Faculdade de Medicina da USP (Universidade de São Paulo), mostram que, de 16 episódios por mês, os pacientes avaliados passaram a apresentar seis episódios mensais.

Outras características do portador da asma, como ansiedade e depressão, também diminuíram. Segundo a pesquisa, os resultados contribuíram com a qualidade de vida e com a autoestima dos pacientes.

A asma é uma doença inflamatória da mucosa bronquial que impede a passagem do ar até os pulmões. O quadro é caracterizado por falta de ar acompanhado de tosse, chiado e aperto no peito. Normalmente é controlado com o uso de broncodilatadores que cumprem a função de expandir os brônquios e permitir a passagem do ar.

Segundo o fisioterapeuta Felipe Mendes, autor do trabalho, a atividade física é considerada, na maioria das vezes, uma vilã para pacientes asmáticos, por ser um dos fatores mais comuns das crises. Por essa razão, os portadores de asma tendem a ser menos ativos.

No entanto, Mendes afirma que, quando o exercício físico é realizado corretamente, as complicações são minimizadas.

O estudo avaliou, durante três anos, 101 pacientes adultos com idade entre 20 e 50 anos. Após participarem de um programa educacional, os pacientes foram divididos em dois grupos.

O primeiro passou por um tratamento fisioterápico, com a realização de exercícios respiratórios e treinamento aeróbico, além do acompanhamento clínico. Durante três meses, os pacientes se exercitaram cerca de 30 minutos e duas vezes por semana.

Já o outro grupo realizou exercícios respiratórios e acompanhamento clínico. Em ambos os casos a medicação não foi alterada.

Os resultados surpreenderam os especialistas. Os pacientes submetidos a atividades físicas tiveram menos sintomas de asma e melhoraram a qualidade de vida, especialmente na época do inverno, quando se intensifica os problemas de saúde, enquanto o outro grupo não apresentou mudanças no quadro clínico.

Fonte: R7

O que é Biomedicina e o que faz o Biomédico?


Biomedicina é a ciência que conduz estudos e pesquisas no campo de interface entre biologia e medicina, voltada para a pesquisa das doenças humanas, seus fatores ambientais e ecoepidemiológicos, com intuito de encontrar sua causa, mecanismo, prevenção, diagnóstico e tratamento.

Atuação do Biomédico:
  • Análises Clínicas
    • Realizar exames de Análises Clínicas;
    • Assumir a responsabilidade técnica e firmar os respectivos laudos;
    • Assumir e executar o processamento de sangue, suas sorologias e exames pré-transfussionais;
    • Assumir chefias técnicas, assessorias e direção destas atividades;

  • Análises Ambientais
    • Realizar análises físico-químicas e microbiológicas para o saneamento do meio ambiente.

  • Indústrias
    • Atuar em indústrias químicas e biológicas na elaboração de soros, vacinas e reagentes.

  • Análises Bromatológicas
    • Realizar análises para aferição de qualidade dos alimentos.

  • Biologia Molecular
    • Realizar coleta de materiais, análise, interpretação, emissão e assinatura de laudos e de pareceres técnicos.

  • Genética
    • Participar de pesquisas em todas as áreas da genética, como coordenador ou membro da equipe; 
    • Realizar exames de Citogenética Humana e Genética Humana Molecular (DNA), realizando as culturas, preparações citológicas e análises;
    • Assumir a responsabilidade técnica, elaborando e firmando os respectivos laudos e transmitindo os resultados dos exames laboratoriais a outros profissionais, como consultor, ou diretamente aos pacientes, como aconselhador genético.

  • Reprodução Humana
    • Atuar em Identificação e Classificação oocitária; Processamento Seminal; Espermograma; Criopreservação Seminal; Classificação embrionária; Criopreservação Embrionária; Biópsia Embrionária e Hatching;
    • Atuar em Embriologia. Realizar a manipulação de gametas (oócitos e espermatozóides) e pré-embriões.

  • Citologia Oncótica
    • Realizar colheita de material cérvico vaginal e leitura da respectiva lâmina, exceto a colheita de material através da técnica de Punção Biópsia Aspirativa por Agulha Fina (PAAF);
    • Realizar a leitura de citologia de raspados e aspirados de lesões e cavidades corpóreas, através da metodologia de Papanicolaou;
    • Atuar no setor de imunohistoquímica e imunocitoquímica, referente ao diagnóstico citológico;
    • Assumir responsabilidade técnica, firmando os respectivos laudos.

  • Banco de Sangue
    • Executar o processamento de sangue e suas sorologia;
    • Realizar exames pré e pós transfusionais;
    • Assumir chefias técnicas, assessorias e direção de unidades;
    • Manusear equipamentos de auto-transfusão;
    • O profissional legalmente habilitado nesta área poderá exercer todas as atividades inerentes a este campo, com exceção do ato transfusional. A responsabilidade técnica deve ficar a cargo de um médico especialista em Hemoterapia e / ou Hematologia.
  • Acupuntura
    • Realizar atendimento em consultório voltado à atividade e procedimentos de Acupuntura;
    • Aplicar o diagnóstico energético (complementar ao diagnóstico clínico nosológico);
    • Aplicar procedimentos técnicos para promoção do equilíbrio energético - orgânico;
    • Exercer atividades ligadas à docência e pesquisa.

  • Imagenologia
    • Atuar em Tomografia computadorizada (TC), Ressonância Magnética (RM), Medicina nuclear (MN), Radioterapia (RT), ultra-sonografia (USG) e radiologia médica, excluída a interpretação de laudos. No que se refere à Tomografia Computadorizada e à Ressonância Magnética, as áreas mais significativas são:
      • Operação de equipamentos;
      • Desenvolvimento de protocolos de estudo e examinação;
      • Desenvolvimento de novas técnicas
      • Coordenação de grupos de colaboradores, administração e gestão de conteúdo e contingente dos setores.
    • Atuar em exame de ultra-sonografia. Por ser um exame praticamente médico dependente (o laudo será elaborado pelo executante do exame) tem poucos Biomédicos atuando neste seguimento quando comparado a TC e RM;
    • Atuar no campo da Informática Médica, exercendo atividades no produto final dos exames, seja o conteúdo de dados ou armazenamento das imagens adquiridas. Os sistemas HIS (Hospital Information System), RIS (Radiology Information System) e PACS (Picture Archiving in Communication System) estão sendo implantados nos centros de diagnósticos e necessitam de profissionais Biomédicos para atuar neste seguimento.

  • Coleta de materiais
    • Realizar toda e qualquer coleta de amostras biológicas para realização dos mais diversos exames, como também supervisionar os respectivos setores de coleta de materiais biológicos de qualquer estabelecimento que a isso se destine. Excetuam-se as biópsias, coleta de líquido, cefalorraquidiano (liquor) e punção para obtenção de líquidos cavitários em qualquer situação. 
      ** No exercício das atribuições acima indicadas, poderá o Biomédico assumir a responsabilidade técnica, quer de Laboratórios, quer de indústrias, firmando os respectivos laudos ou pareceres.
      ** Para a realização dessas atividades o biomédico deverá ter o reconhecimento de habilitação na área específica.
      ** Para o exercício de quaisquer das atividades referidas, torna-se indispensável a prévia inscrição do Biomédico neste Conselho.

Enfermagem no PSF


Conteúdo Programático do curso online Enfermagem e o PSF


  • Caracterização do Sistema Único de Saúde (SUS);
  • Principais Definições Legais do SUS;
  • O Processo de Implantação do SUS: As Normas Operacionais;
  • Demanda por Serviços de Saúde;
  • Modelo de Atenção Básica;
  • Saúde da Família;
  • Objetivos do Programa de Saúde da Família;
  • As Atribuições dos Profissionais das Equipes de Saúde da Família e Saúde Bucal;
  • Atribuições Comuns a todos os Profissionais;
  • Atribuições Específicas;
  • A Equipe de Saúde Bucal;
  • Definindo o Pefil Epidemiológico da Área Adstrita à Unidade de Saúde da Família;
  • Identificando Situações e Fatores de Risco;
  • Sistema de Informação da Atenção Básica - SIAB;
  • A Família e o Processo de Saúde-Doença;
  • Visitas Domiciliares;
  • A Família e sua Condição Domiciliar;
  • Questões Éticas;
  • Saúde da Mulher;
  • Acompanhamento do Pré-Natal;
  • Exames Laboratoriais na assistência do Pré-Natal e Condutas;
  • Vacinação;
  • Atividades Físicas;
  • Alimentação e Ganho de Peso durante a Gestação;
  • Puerpério;
  • Prevenindo o Câncer de Mama;
  • Prevenção Primária e Fatores de Risco;
  • Detecção Precoce;
  • Prevenindo o Câncer de Colo de Útero;
  • Resultados Dos Preventivos e Condutas;
  • Saúde Da Criança;
  • Vacinação;
  • Saúde Do Adulto;
  • Hipertensão Arterial Sistêmica;
  • Diabetes Mellitus;
  • Atribuições E Competências Da Equipe De Saúde Da Família Na Hipertensão Arterial E No Diabetes Mellitus;
  • Prevenção Do Câncer De Próstata;
  • Saúde Do Idoso;
  • Saúde Mental;
  • Violência;
  • Alcoolismo E Drogas;
  • Tuberculose;
  • Hanseníase.


















































































Veja a opinião de quem já fez o curso:






Acho a EAD uma ferramenta incrível, pois na correria diária se torna quase inviável sair para se capacitar. O Portal Educação ofereceu para mim o que eu desejava, relembrar algumas vezes e aprofundar o conhecimento.
angela flach - Santa Maria - RS

Conheci o curso através de um amigo, e fiquei muito feliz com o investimento que fiz. O que mais gostei do curso é a praticidade, pois pude encaixar o estudo nos horários mais propícios para a correria do meu dia-a-dia. O material didático é bem simples de entender e bem acessível, não tive dificuldade alguma. Sou a favor da praticidade, e isso me chamou muita atenção para realizar o curso. Estou satisfeita e recomendo-o a todos!
Ane Pereira Carvalho Pio - Belford Roxo - RJ

O curso foi excelente.
Gardênia Gomes da Silva - Carolina - MA

Bom curso,que propicia mesmo aos leigos adquirir conhecimentos sobre os objetivos/normas dos PSFs e conhecimentos importantes sobre prevenções de sáude.Linguagem clara, objetiva e não cansativa. Curso agradável.
Paulo Ramon Gimael - AREALVA - SP


Maiores informações?? Clique aqui!






O que faz um terapeuta ocupacional


A Terapia Ocupacional (TO) é uma profissão da área da Saúde com atenção dirigida para as atividades humanas. O princípio que rege a profissão é o de que vida é atividade. A TO reconhece que saúde significa não somente ausência de doença, mas também o bem-estar biológico, psicológico e social. 


A Terapia Ocupacional, profissão da aréa de saúde, regulamentada a nível superior, trabalha com atividades humanas, planeja e organiza o cotidiano (dia-a-dia), possibilitando melhor qualidade de vida. Seu interesse está relacionado ao desenvolvimento, educação, emoções, desejos, habilidades, organização de tempo, conhecimento do corpo em atividade, utilização de recursos tecnológicos e equipamentos urbanos, ambiência, facilitação e economia de energia nas atividades cotidianas e laborais (trabalho), objetivando o maior grau de autonomia e independência possível.

O terapeuta se ocupa da realização de atividades, desde as mais simples, como escovar os dentes ou levar alimentos à boca, às mais complexas, como dirigir um automóvel ou dirigir uma empresa, promovendo, prevenindo, desenvolvendo, tratando, recuperando pessoas ou grupos de pessoas que apresentam qualquer alteração na realização de atividades de autocuidado ou interação social, melhorando o desempenho funcional e reduzindo desvantagens.

Os serviços de TO são necessários quando existe disfunção ou risco de disfunção ocupacional em qualquer fase da vida da pessoa. Em TO, a ocupação abrange atividades de autocuidado, produtivas (tais como trabalho, atividades escolares) e de lazer. As causas dessa disfunção geralmente combinam fatores pessoais e ambientais. 
Os serviços são indicados para melhorar o desempenho funcional da pessoa, prevenir incapacidade e atraso de desenvolvimento. O uso de atividades no tratamento e as adaptações do meio são ferramentas legítimas e diferenciais dos terapeutas ocupacionais. Contudo, esses profissionais também podem conduzir seus atendimentos por meio de métodos e técnicas que não incluam o uso permanente de atividades. 

O propósito da TO é a autonomia e a independência do indivíduo para a sua participação social nos moldes desejáveis. Os terapeutas ocupacionais utilizam métodos e técnicas que recuperam ao máximo a independência do paciente. Eles podem atuar em diferentes especialidades médicas, como neurologia, ortopedia, psiquiatria, geriatria, dentre outras. Seus préstimos são necessários em situações de hospitalização por diferentes causas e diante de enfermidades crônicas que exijam atenção nos domínios das habilidades motoras, cognitivas e emocionais. 

Atendimentos domiciliares, no ambiente escolar e de trabalho também são realizados pelos terapeutas ocupacionais. Destaca-se também a importância do trabalho desse profissional na humanização do ambiente hospitalar e no campo da saúde do trabalhador. O uso de atividades propositivas, a adaptação de utensílios e de mobiliário, as mudanças nas demandas ambientais, as prescrições e o treinamento para o uso de órteses são exemplos de recursos utilizados por terapeutas ocupacionais.

Atividade Física retarda envelhecimento


Atividade física faz com que as pessoas se sintam mais dispostas,
ajuda a controlar o peso, colabora com a saúde. E a lista de
benefícios aumentou. Segundo pesquisadores da Universidade da
Califórnia em São Francisco, Estados Unidos, tende ainda a reduzir a
velocidade do processo de envelhecimento.

A ginástica traz níveis crescentes da enzima telomerase, responsável
por adicionar uma repetição de DNA nos telômeros (sequências de DNA
situadas em cada ponta dos cromossomos relacionadas à reposição
celular) e, assim, restaurar a capacidade de multiplicação celular e
retardar o envelhecimento dos tecidos. Durante os anos, a função da
telomerase declina e os telômeros se encurtam.

Os cientistas analisaram 62 mulheres na pós-menopausa, sendo que
muitas delas cuidavam de parceiros ou pais com demência. Elas tiveram
de relatar quantos minutos de atividade vigorosa (com aumento da
frequência cardíaca e/ou da transpiração) fizeram por dia e quão
estressadas se sentiam, além de fornecer amostras de sangue para que a
equipe medisse o comprimento dos telômeros.

De acordo com o jornal Daily Mail, a conclusão é que um período de
cerca de 15 minutos diários destinados a suar a camisa conseguiu parar
a diminuição das sequências de DNA situadas em cada ponta dos
cromossomos. Fora isso, exercitar-se vigorosamente por 42 minutos ao
longo de três dias também protegeu o comprimento dos telômeros.

Os resultados mostram que estresse psicológico promove envelhecimento
de células por meio do encurtamento dos telômeros e que até as
mulheres muito estressadas foram capazes de bloquear o processo ao
afastar o sedentarismo.

Fonte: Terra