Ultrasonografia na entorse aguda de tornozelo




Cerca de 25% das lesões no esporte ocorrem no pé ou no tornozelo(14) e aproximadamente 10% das radiografias solicitadas num setor de emergências são de tornozelo(17). As entorses de tornozelo são, entretanto, muitas vezes subestimadas, não recebendo tratamento adequado e levando a seqüelas como instabilidade articular, edemas crônicos e recidivas freqüentes(1,15).

Não há significação exata para o termo “entorse de torno-(9,22) e, no passado, alguns autores achavam que não ocorria comprometimento significativo dos ligamentos nesse tipo de lesão(8). Entretanto, vários estudos mostraram que uma “simples” entorse de tornozelo freqüentemente está associada a lesões ligamentares(1,4,21).

O diagnóstico exato da lesão tem grande importância na orientação do tratamento a ser instituído, que dependerá, entre outras coisas, da gravidade da lesão, do número de ligamentos lesados, da presença de instabilidade, da atividade do paciente e de suas necessidades funcionais. O diagnóstico clínico presta-se melhor para os casos extremos, naqueles leves ou bastante graves, mas é dificultado pelo edema, dor e espasmo muscular. O exame radiológico sob esforço busca detectar a presença de instabilidade, mas o bloqueio da subluxação pela dor, reação muscular e as grandes variações dos limites de normalidade para o ângulo de inclinação ta-(22) são fontes de erro. Metade das lesões ligamentares do tornozelo poderá não ser detectada se o diagnóstico for baseado apenas no exame clínico e nas radiografias sob esforço.

O exame artrográfico do tornozelo estabeleceu-se como método de grande valor, principalmente após correlação com achados cirúrgicos, permitindo diagnosticar, com boa precisão, os ligamentos lesados e mesmo a própria extensão da (19,20).

Entretanto, houve o desenvolvimento de novos métodos de diagnóstico por imagem, com destaque para a ultra-sono-grafia. Os ligamentos colaterais do tornozelo são superficiais e facilmente acessíveis por esse método de exame, podendo ser avaliados de maneira confiável(2). Mais recentemente, o emprego da ressonância nuclear magnética nas entorses do tornozelo tem mostrado sensibilidade e especificidade elevadas no diagnóstico das lesões do complexo ligamentar lateral(3).

Trabalhos recentes relatam elevada concordância da ul-tra-sonografia com achados cirúrgicos na avaliação dos ligamentos talofibular anterior e calcaneofibular(12). Estudar melhor o método ultra-sonográfico nas entorses agudas de tornozelo, correlacioná-lo com o método artrográfico e julgar sua utilidade na prática diária foram os objetivos do presente trabalho.

Leia mais clicando aqui!

Comente:

Nenhum comentário