Entorses no ombro





Devido a sua anatomia o ombro possui grande amplitude de movimento, porém isso tem um preço, pois para que esta articulação não sofra os músculos que a envolvem, principalmente os do manguito rotador, estabilizadores dinâmicos da articulação devem estar funcionando perfeitamente, especialmente nos movimentos em que o braço está acima da linha dos ombros, pois nessa posição as estruturas que formam o manguito rotador (músculo supra-espinhal, músculo subescapular, músculo infra-espinhal, músculo redondo menor e tendão da porção longa do bíceps) podem ser comprimidas. Essa compressão pode ser causada por um desequilíbrio muscular, uma articulação anatomicamente propensa (dependendo principalmente do tipo de acrômio: I, II ou III) ou até por excesso de uso. Esse trauma repetido estressa os tendões, músculos e a articulação como um todo (bursa, cápsula, ligamentos, etc.) podendo estabelecer uma patologia no tendão (tendinite ou tendinose com ruptura) e outras como a bursite.

Sintomas:

Dor inicialmente após atividades, tornando-se contínua com o decorrer dos treinos, depois dor durante e após as atividades e até dor noturna irradiando para o braço.

Tratamento:

A fisioterapia é sempre indicada, tanto em tratamentos conservadores como também em casos cirúrgicos no pré e pós-operatório.
De suma importância para a reabilitação dessa lesão, e de todas outras, devemos enfatizar o tratamento global, pois outros segmentos corporais podem influenciar, tais como a mobilidade, não só da articulação gleno-umeral (úmero e escápula), mas sim de todo o complexo articular do ombro (articulações acrômio clavicular, esterno clavicular, escapulo – torácica, etc.) e a coluna torácica e cervical, já que o movimento do ombro está intimamente relacionado com essas estruturas e todos os músculos que a cercam. Ex: Muitas vezes a perda de mobilidade da coluna torácica provoca uma hipermobilidade compensatória na gleno-umeral o que pode gerar compressão sobre o manguito rotador.
Esses e outros fatores devem ser tratados através de terapia manual (osteopatia, RPG, etc.) além da necessidade de um fortalecimento específico com cinesioterapia, fortalecimento no power plate, termoterapia, eletroterapia, hidrocinesioterapia, etc..


Comente:

Nenhum comentário