Entorse maltratada pode causar artrose prematura





UOL

A má conservação das calçadas e ruas cheia de buracos, aliada à moda feminina do salto alto e à prática de esporte com tênis inadequado contribuem para o surgimento de torções. Isso ocorre ao pisar num buraco, quebrar um salto, ou na prática esportiva ao se perder o equilíbrio e pisar mal. 

A torção ou entorse do tornozelo é uma lesão muito frequente, na qual os ligamentos são alongados até se romperem parcial ou totalmente. Ela pode ocorrer quando pisamos em falso num buraco ou degrau, fazendo com que o pé gire para dentro ou para fora devido ao peso do corpo, comprometendo os ligamentos do lado de fora que, em geral são os mais comprometidos, ou de dentro do tornozelo, que é mais raro e quase sempre vem acompanhado por uma fratura. Isso porque os ligamentos da porção interna do tornozelo são mais resistentes do que os de fora para que permita ao tornozelo uma maior mobilidade.

O tratamento depende da gravidade da entorse. Geralmente, as entorses leves são tratadas com um enfaixamento do tornozelo e do pé com faixa elástica ou esparadrapo, aplicação de gelo na região, elevação do tornozelo e, à medida que os ligamentos se curam, um aumento gradual das caminhadas e dos exercícios. 

Para as entorses moderadas, é utilizado um aparelho **gessado que permite a caminhada, o qual é mantido por três semanas. Esse aparelho imobiliza a perna, mas permite que a indivíduo ande com o tornozelo lesado. Para as entorses graves, pode ser necessária a realização de uma cirurgia. Por isso é imprescindível que o médico seja consultado para dizer se há indicação cirúrgica ou não.

A fisioterapia ajuda muito na recuperação dessas torções, seja leve, moderada ou grave, com a utilização de gelo, eletroterapia, acupuntura, fortalecimento muscular, treino de equilibro entre outras técnicas para amenizar a dor e restabelecer a função do tornozelo. 

Um tratamento fisioterapêutico, sucesso desde os anos 60, é a criocinética que consiste na utilização de um protocolo de crioterapia (terapia pelo frio) combinado com exercícios (sempre realizados com cautela sob a supervisão do fisioterapeuta) a fim de promover um retorno mais rápido às atividades e à cura. A duração do tratamento varia de acordo com o grau de lesão e tipo de técnica escolhida. A mais rápida é a criocinética, numa entorse leve dura entre duas e quatro semanas.

Uma lesão maltratada ou um paciente indisciplinado pode ter sequelas, a função articular deficiente leva à patologia degenerativa chamada *artrose prematura e calcificações surgem por lesões recidivas (que reaparecem) em pacientes crônicos. 

Por isso é importante quando se tem uma entorse de tornozelo, tratar direito com médico e fisioterapia.

* Processo degenerativo de uma articulação

** O tradicinal gesso ou pode ser também as botinhas que são mais usadas hoje do que o gesso. Por isso usa-se este nome de "aparelho gessado", pois a bota faz o papel do gesso, com a facilidade de poder tirar para fazer fisioterapia.


Comente:

Nenhum comentário