Epicondilite lateral tratada





Cotovelo de tenista é um termo popularmente utilizado para a "epicondilite lateral", uma tendinite no cotovelo. Não é um termo apropriado, pois não é exclusiva de tenistas. Pode acometer qualquer pessoa que tenha sobrecarga na musculatura envolvida, como os digitadores.


No tênis, a epicondilite lateral é mais comum em tenistas amadores, principalmente por falha de técnica ou sobrecarga. Acomete principalmente um pequeno músculo do antebraço - o extensor radial curto do carpo. Este músculo posiciona o punho em extensão ou o mantém estabilizado, por exemplo, num backhand.


Trata-se de uma dor chata e, se não bem tratada, pode incapacitar o indivíduo até nas atividades diárias como carregar um peso (mala, mochila, copo etc).


Um tratamento conservador, ou seja, que não seja cirúrgico, pode levar até 6 meses. O tratamento começa com a identificação do fator causador da lesão. Pode ser desde um grip pequeno (que leva ao aumento de força de pegada na raquete, sobrecarregando a musculatura) até um erro de técnica.


Após a abordagem da causa, vamos aos sintomas. Podemos dividir o tratamento em duas fases:


1. alívio dos sintomas: podemos utililizar o brace, fisioterapia e fazer uso de medicações sob orientação médica;


2. prevenção de nova lesão: aqui desenvolvemos um programa que envolve alongamentos e exercícios de fortalecimento, além de correções de movimentos.


Em casos em que o tratamento conservador não tiver sucesso, pode-se indicar a cirurgia. O tempo de recuperação após a cirurgia é de 2 a 3 meses.



Comente:

Nenhum comentário