Dicas para perder a barriguinha





1.COMECE POR ESTA: RELAXE!
Para a médica Maria Teresa Zanella, da Unifesp, se existe um culpado pela epidemia de gordura visceral e de síndrome metabólica , é o estresse. Hoje as pessoas vivem com pressa e sob tensão. Por isso, são mais sedentárias e, ansiosas, comem fastfood, exemplifica. O estresse, aliás, é mais do que um inimigo do estilo de vida. Ele dispara mudanças hormonais que colaboram com a manutenção da barriga em si. A tensão faz subir os níveis do hormônio cortisol e propicia um aumento das taxas de glicose no sangue, explica a psiquiatra Alexandrina Meleiro, do HC paulistano. Por questões bioquímicas, isso leva o organismo a acumular mais e mais gordura bem... adivinhe onde! A ordem, portanto, é relaxar. Procure respeitar as oito horas de sono, as oito de trabalho e as oito de lazer, aconselha Alexandrina. Para aplacar o estresse, aposte na meditação e desligue a mente da rotina por alguns minutos respirando lentamente e ouvindo uma música calma. Dedique um tempo do seu dia a algo que lhe dê prazer, dá a dica a psicóloga Marilda Lipp, da Pontifícia Universidade Católica de Campinas.

2. APOSTE EM CERTOS NUTRIENTES
Cálcio, gorduras insaturadas e flavonóides: alimentos ricos nessas substâncias são indispensáveis ao cardápio de quem pretende murchar a cintura. O cálcio atua no controle glicêmico, diminuindo a resistência à insulina e facilitando a perda de gordura visceral, diz a nutricionista Mariana Del Bosco, da Associação Brasileira para o Estudo da Obesidade e da Síndrome Metabólica. O ideal é ingerir fontes do mineral pelo menos três vezes ao dia. Ou seja, invista no leite desnatado e em seus derivados magros, além de verduras como brócolis. Outra medida essencial: escolha bem as gorduras da sua dieta. Diminua o consumo das saturadas que estão nas carnes e elimine para todo o sempre as trans, aquelas das frituras. Tente substituí-las pelas monoinsaturadas do azeite, que melhoram a ação da insulina, e pelo ômega-3 do salmão, que regula respostas inflamatórias juntos, eles ajudam a afinar o abdômen. Também vale maneirar nos carboidratos de rápida digestão, como doces e massas que inflam a barriga mais depressa. E não se esqueça dos flavonóides dos chás e das frutas vermelhas: eles fazem os adipócitos, a alcunha científica das células gordurosas, emagrecerem. E a barriga também.

3. CAPRICHE NAS FIBRAS
Elas promovem o aumento da saciedade. As fibras não elevam o pico de açúcar no sangue. Portanto, evitam a descarga de insulina na circulação, diminuindo a sensação de fome, explica a nutricionista Eliana Giuntini, do Laboratório de Bioquímica dos Alimentos da Universidade de São Paulo. Por passarem mais devagar por todo o sistema digestivo, essas substâncias retardam a vontade de comer e beneficiam o trânsito intestinal. São encontradas principalmente nas frutas, nos cereais integrais e em leguminosas como o feijão, diz Eliana.

4. PRESTE ATENÇÃO NA POSTURA
Quem está todo torto parece ser mais barrigudo. Manter os ombros abertos e a coluna sempre reta diminui essa impressão. Mais do que isso, porém, a postura correta, segundo certas correntes de especialistas, favorece a circulação e, conseqüentemente, a queima da gordura localizada. Quando estiver sentado de frente para o computador, apóie bem as costas na cadeira, deixe os pés no chão e os braços posicionados sobre os encostos laterais. Evite ficar mais de 45 minutos sem se levantar. Bastam dois minutos de pé para aliviar o peso sobre a coluna, assegura o fisioterapeuta Helder Montenegro, do Instituto de Tratamento da Coluna Vertebral, em Fortaleza.

5. FIQUE DE OLHO NOS HORMÔNIOS
Realizar exames de rotina, sobretudo depois dos 40, é o modo mais eficaz de flagrar desequilíbrios hormonais que favorecem o acúmulo gorduroso no abdômen com o passar do tempo. Nas mulheres, a queda de estrogênio na menopausa desregula a distribuição da gordura, facilitando a formação da barriga, avisa o cardiologista Otavio Gebara, do HC de São Paulo. No caso dos homens, níveis muito baixos de testosterona estão associados tanto ao colesterol alto quanto ao umbigo protuberante. Por fim, se necessário, deve-se iniciar a reposição hormonal sob orientação médica.

A baixa de testosterona resulta em desânimo e fraqueza muscular. Quando indicada, a reposição reequilibra os hormônios, o que dá, inclusive, disposição para perder a barriga, diz o urologista Fernando Facio, da Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto, no interior paulista.

6. FORTALEÇA CERTOS MÚSCULOS
Os abdominais, por si sós, não moldam o abdômen. Até porque não exigem um grande gasto energético. Ainda assim são parte imprescindível da receita antibarriga. Eles desenvolvem a musculatura da região e, daí, menos gordura se acumulará entre as vísceras. Isso mesmo. O músculo fortalecido requer energia mesmo em repouso e vai atrás das fontes mais próximas, ou seja, da própria gordura visceral, explica Francisco Navarro, do Instituto Brasileiro de Pesquisa e Ensino em Fisiologia do Exercício. Ou seja, primeiro você precisa conquistar barriga lisa graças a uma
atividade aeróbica. A partir disso, tem nos célebres abdominais a chave para mantêla em forma. E mais: com um abdômen definido, você melhora a postura. Aliás, para alcançar esse benefício específico, a mensagem é malhar para fortificar os ombros, as costas e o peito. Ao exercitálos, você também aumenta a queima de calorias do corpo em repouso. Aí ele não estocará tanta gordura por bobagem.

Invista nas flexões de braço, que desenvolvem o peitoral na hora de erguer o corpo e as costas durante a descida. Quanto aos abdominais, nunca deixe de lado os exercícios oblíquos, que tonificam a lateral da barriga. Isso faz tremenda diferença. Outra dica é levantar peso em pé, o que obriga o abdômen a se contrair.

7. FAÇA EXERCÍCIOS AERÓBICOS
Suar a camisa é preciso, seja na corrida, no ciclismo, seja na natação. Praticados regularmente, esses esportes oferecem um gasto calórico capaz de desinflar o ventre. Eles trabalham com muitos grupos musculares, diz a educadora física Camila Coelho, da Universidade Estadual Paulista, em Rio Claro. Daí, aceleram o metabolismo, intensificando a perda de peso. E, ao ganhar condicionamento, você pode adotar treinos mais intensos, que consomem mais energia em menos tempo.

8. TAMBÉM PRATIQUE IOGA, PILATES OU DANÇA
Essas são atividades complementares importantes porque trabalham a postura e os músculos.
O pilates exige muito do abdômen e, ao mesmo tempo, corrige a posição da coluna, diz a educadora física Aline Haas, da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul. Para quem prefere a dança, vale experimentar a do ventre, que afina bastante a cintura. Já a ioga, apesar de torrar menos calorias, acalma os ânimos algo fundamental para o sucesso da empreitada antibarriga.

9. FORÇA DE VONTADE
Apesar de ter ficado por último, ela é o primeiríssimo ingrediente de qualquer fórmula que pretenda dar cabo da barriga. Você deverá estar convicto da importância de perder essa gordura localizada para fazer os devidos ajustes na dieta, seguir uma rotina diversificada de exercícios, corrigir a postura e, para completar, manter a ansiedade de ver as medidas diminuírem sob controle. Está em suas mãos, enfim, conquistar uma barriga enxuta. Em uma palavra, saudável.

 


Comente:

Nenhum comentário