Doença das trincheiras




A doença das trincheiras (infecção de Vincent, gengivite ulcerosa necrosante aguda) é uma infecção dolorosa, não contagiosa, das gengivas que causa dor, febre e cansaço.

O termo «doença das trincheiras» provém da Primeira Guerra Mundial, quando muitos soldados nas trincheiras contraíam a infecção. A escassa higiene bucal costuma contribuir para o desenvolvimento da infecção, tal como o stress físico ou emocional, uma dieta reduzida ou o dormir pouco. A infecção apresenta-se, muito frequentemente, em pessoas com gengivite simples, confrontadas com um problema que lhes causa tensão nervosa, como os exames nos estudos ou a mudança de trabalho. Este processo é mais frequente nos fumadores do que nos não fumadores.

Sintomas

De um modo geral, a doença das trincheiras começa repentinamente com dor nas gengivas, uma sensação de mal-estar e de cansaço geral. Provoca também halitose (mau hálito). As extremidades das gengivas entre os dentes sofrem erosão e cobrem-se de uma camada cinzenta de tecido morto. As gengivas sangram com facilidade e doem ao comer e ao engolir. Muitas vezes, os gânglios linfáticos do pescoço por baixo do maxilar inferior inflamam-se e aparece alguma febre.

. Periodontite: da placa à perda do dente
1-As gengivas sãs e o osso seguram o dente no seu local. 2-A formação da placa irrita as gengivas e estas inflamam-se; com o tempo separam-se do dente, criando uma cavidade que se enche com mais placa. 3 As cavidades tornam-se mais profundas e a placa, ao endurecer, transforma-se em tártaro, acumulando-se mais placa sobre este.4 A placa desloca-se para a raiz do dente e pode destruir o osso que segura o dente. Sem este suporte, o dente solta-se e cai

Tratamento

O tratamento começa com uma limpeza suave e minuciosa, durante a qual se extrai da zona todo o tecido gengival morto e o tártaro. Dado que a limpeza pode tornar-se dolorosa, o estomatologista pode aplicar uma anestésico local. Durante os primeiros dias depois da profilaxia recomenda-se que o doente faça bochechos com uma solução de peróxido de hidrogénio (3 % de peróxido de hidrogénio misturado com água a 50 %) várias vezes ao dia, em vez de escovar os dentes.

O doente deve visitar o estomatologista todos os dias, ou então em dias alternados, durante duas semanas. A limpeza regular por parte de um profissional deve manter-se enquanto durar a cura. Se as gengivas não voltarem à sua forma e posição normais, o estomatologista refá-las cirurgicamente para prevenir uma recidiva ou uma periodontite. Pode prescrever-se um antibiótico quando a doença é grave ou quando o doente não pode recorrer ao estomatologista.



Comente:

Nenhum comentário